Dobradinha lusa e título para Albuquerque na LMP2 em Le Mans

|AUTOCLUBE

Filipe Albuquerque sagrou-se Campeão da LMP2 ao vencer a categoria hoje em Le Mans, à frente de António Félix da Costa.

Albuquerque

Um dia histórico para Portugal no que toca às 24 Horas de Le Mans que hoje tiveram lugar no mundialmente famoso circuito gaulês cerca de três meses após a data tradicional por causa da pandemia global da Covid-19.

Pela primeira vez na história da competição o pódio da categoria LMP2, a segunda mais importante da prova, conta com a presença de portugueses nas duas primeiras posições. Tudo graças à vitória de Filipe Albuquerque (Unieted Autosports), à frente do recém consagrado Campeão do Mundo de Fórmula E, António Félix da Costa (Jota).

Depois de se ter qualificado na sexta posição absoluta da grelha com o melhor tempo entre os LMP2, e de ter feito a partida para as 24 Horas de Le Mans, Albuquerque, que fez equipa com Paul di Resta e Philip Hanson, manteve a liderança à classe durante a primeira hora de prova. Contudo, e como era de esperar numa prova de resistência, nem tudo foram facilidades.

A primeira metade da corrida foi marcada por altos e baixos, com o português a chegar a ser cronometrado em sétimo. Mas a verdade é que à passagem da 13ª horas as coisas mudaram. A tripla de Albuquerque regressou à liderança, cedendo-a apenas por alguns momentos ao longo das duas horas que se seguiram. Com 16 horas de corrida feitas, o português era de novo primeiro, posição que não mais cedeu até final para vencer e, com isso, garantir a uma jornada do fim da época a conquista do título de Campeão do Mundo da categoria LMP2.

Enquanto isso, atrás dele, Félix da Costa teve um início de corrida mais duro, vindo de 12º da geral, e de sétimo da LMP2, a formação do português, composta ainda por Anthony Davidson e Roberto Gonzalez, começou por ganhar apenas uma posição ao cabo de uma hora, mas ao cabo de duas era já segundo. Contudo, nas horas seguintes, até à nona hora de corrida, passou por vários altos e baixos até chegar ao terceiro posto à passagem das 10 horas de competição.

Muito regular no mais baixo do pódio da LMP2, Félix da Costa e companheiros viram-se promovidos ao segundo lugar ao cabo de 16 horas de corrida, posição que não mais perderam até final.

Já no que toca ao vencedor à geral, e como era de esperar dado o favoritismo, a glória foi para a Toyota Gazoo Racing, desta feita com Kazuki Nakajima a cruzar a meta em primeiro lugar no que foi o resultado de um esforço em conjunto com Sébastien Buemi e Brendon Hartley. No segundo posto terminou a tripla da Rebelion Racing composta por Bruno Senna, Norman Nato e Gustavo Menezes, enquanto o terceiro lugar foi para o segundo Toyota. Mike Conway Kamui Kobayashi e José Maria Lopez ainda chegaram a passar pela liderança da corrida por várias vezes na sequência de trocas com os colegas de equipa, mas os problemas sentidos logo após a 12ª hora ditaram o desfecho.

scroll up