Guia sobre carros elétricos

O essencial sobre a mobilidade sustentável

Mais sustentáveis ambientalmente — pois não emitem diretamente qualquer gás para a atmosfera — baixos custos de manutenção e de utilização, e uma condução mais silenciosa. Estas são as principais vantagens dos carros elétricos, que começam a ter cada vez mais adeptos. Ainda que atualmente representem apenas 2,7% das vendas globais, a tendência, segundo um relatório da Bloomberg New Energy Finance, será para aumentar. Estima-se que em 2025, os carros elétricos representem 10% das vendas globais de veículos de passageiros, passando para 28% em 2030 e 58% em 2040. 

De acordo com uma análise relativa a Portugal efetuada pela Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE), em novembro de 2020 a venda de carros elétricos aumentou 80% face a novembro de 2019. Reconhecendo esta tendência, além de disponibilizar uma oferta de carros elétricos em renting, o ACP prepara-se para vender carregadores com condições especiais para este tipo de veículos. O clube foi ainda pioneiro em Portugal no serviço de assistência a veículos elétricos.

Se ainda tem dúvidas (e receios) quanto a estes veículos, leia as seguintes respostas às questões mais frequentes.

Os carros elétricos são todos iguais?

A resposta é não. Existem três tipos de veículos elétricos:

  • 100% Elétrico

Também designado por BEV (Battery Electric Vehicle) ou Elétrico Puro, utiliza como meio exclusivo de propulsão um ou dois motores elétricos alimentados por baterias. Estas são carregadas através de uma ligação à rede elétrica.

  • Elétrico com extensor de autonomia

Mais conhecido por Híbrido em Série ou REX ou ainda BEVx. É muito semelhante ao 100% Elétrico, diferindo no facto de incorporar um motor extra com outro combustível que tem como função carregar as baterias do veículo em andamento. No entanto, só utiliza o motor elétrico como meio de propulsão para se deslocar. As baterias podem ainda ser carregadas através de uma ligação à rede elétrica.

  • Híbrido Plug-In

Também referido como PHEV (Plug-In Hybrid Electric Vehicle) ou híbrido Plug-In. Para se deslocar, utiliza a motorização elétrica, mas também um motor a combustível. Apesar disso, as baterias podem ser carregadas através de uma ligação à rede elétrica.

Que tempo de vida oferece uma bateria para veículos elétricos?

De acordo com a UVE, a bateria deste tipo de veículos pode ter uma vida útil de até 30 anos, passando por três etapas: a utilização da bateria no veículo, a reutilização da bateria para armazenamento de energia e a reciclagem da bateria. Contudo, de modo a assegurar a sua longevidade, cabe aos proprietários destes automóveis fazerem uma utilização adequada.

Para a preservar, devem evitar-se carregamentos diários e consecutivos nos postos de carregamento rápido, bem como manter a carga da bateria entre os 10% e os 80%, sem deixar que o nível de bateria fique abaixo do primeiro valor nem carregar sempre até aos 100%. Desta forma, é possível evitar que o rendimento seja afetado a curto prazo, permitindo que dure mais de 15 anos, acrescenta a UVE.

Que autonomia possui um carro elétrico?

Este é um dos pontos que faz com que muita gente fique reticente no momento de optar por um carro elétrico. E a verdade é que é uma questão para a qual existem diferentes respostas. Depende do modelo do carro, do tipo de bateria que possui, do estilo de condução e até do tipo de percurso (se estradas citadinas ou autoestradas, se apresenta mais ou menos subidas, por exemplo).

A autonomia dos novos modelos de carros elétricos ronda os 300 quilómetros com um único carregamento. Acima de tudo, importa considerar a utilização que se faz do veículo: se for para distâncias curtas, como casa-trabalho-casa, que ronda os 40 a 80 quilómetros diários, até os carros elétricos menos autónomos são adequados. Mas caso a autonomia seja um fator crucial, optar por um veículo Híbrido ou Híbrido Plug-In pode ser uma boa solução.

Quanto tempo é necessário para carregar um veículo elétrico?

Uma vez mais, depende, pois existem diferentes tipos de postos de carregamento:

  • Posto de carregamento normal (3,7 kWh): entre 6 e 8 horas de carregamento para atingir os 100% de capacidade da bateria.
  • Posto de carregamento semi-rápido (22 kWh): Cerca de 1 hora para obter 80% da capacidade da bateria. Contudo, este tempo também depende das características do carregador integrado no veículo.
  • Posto de carregamento rápido: entre 20 e 30 minutos para atingir os 80% da capacidade da bateria.

Quantos postos de carregamento existem em Portugal?

Existem mais de 500 postos de carregamento no país, o que corresponde a cerca de 1250 pontos de carregamentos (tomadas), segundo a MOBI.E — a rede de abastecimento de mobilidade elétrica nacional. Porém, devido ao aumento de utilizadores de carros elétricos, o número de postos de carregamento também tem vindo a aumentar. Recentemente, a Brisa lançou a Via Verde Eletric (que passa a integrar a MOBI.E), uma rede de 85 pontos de carregamentos elétricos que será implantada ao longo de 2021, em todas as áreas de serviço da Brisa Concessão Rodoviária.

Onde se encontram os postos de carregamento?

Os postos de carregamento encontram-se por todo o país: na via pública e em locais privados de acesso público, como parques de estacionamento, autoestradas e centros comerciais. Através do site da MOBI.E é possível ver um mapa onde se encontram estes postos.

Como funciona o processo de carregamento de um carro elétrico?

Para carregar o veículo elétrico num dos postos de carregamento da rede MOBI.E precisa, em primeiro lugar, de aderir a uma proposta comercial de um dos Comercializadores de Eletricidade para a Mobilidade Elétrica (CEME), para lhe fornecerem um cartão de acesso a todos os postos. Depois de ter o cartão, basta seguir estes passos num posto de carregamento:

  1. Passe o cartão no posto
  2. Selecione o carregamento
  3. Escolha a tomada
  4. Ligue a ficha ao veículo e deixe-o a carregar
  5. Quando carregado, deve passar novamente o cartão no posto
  6. Dê como terminado o carregamento
  7. Retire a ficha do veículo e siga viagem

É possível carregar um veículo elétrico na garagem de casa?

Sim, é possível. Contudo, a MOBI.E não aconselha a "utilização de tomadas convencionais para o carregamento deste tipo de veículos". O mercado já oferece soluções próprias de carregamentos domésticos devendo, contudo, respeitar sempre as condições técnicas.

Uma “wallbox” é a solução adequada. Trata-se de uma estação de carregamento doméstica que se pode comprar ou alugar a um CEME. Tem várias potências disponíveis, assim como opções com ou sem cabo e/ou tomada, sendo ideal para casas térreas ou condomínios. Também as tomadas e fichas para carros elétricos são outra opção, mas que devem ser sempre instalados por técnicos qualificados.

Quanto custa percorrer 100 km com um automóvel elétrico?

Ter um veículo elétrico é sinónimo de poupança diária. De acordo com uma análise feita pela UVE, percorrer 100 km com um carro elétrico é mais barato do que com um carro a combustão, quer com motor a gasolina quer a gasóleo:

  • Um automóvel com motor a gasolina, apresenta um custo médio que pode chegar aos 11€ (consumo de 7 litros aos 100 km).
  • Um automóvel com motor a gasóleo, apresenta um custo médio que pode chegar aos 8,5€ (consumo de 6 litros aos 100 km).
  • Um automóvel elétrico com carregamento efetuado num posto de carregamento rápido, apresenta um custo médio que pode chegar aos 6€ (consumo de 15 kWh/100 km). 
  • Um automóvel elétrico com carregamento efetuado em casa com tarifa simples, o custo médio pode ir até aos 2,70€ (consumo de 15 kWh/100 Km).
  • Um automóvel elétrico com carregamento efetuado em casa com tarifa bi-horária (vazio) apresenta um custo médio que pode chegar a 1,65€ (consumo de 15 kWh/100 Km).

O custo de manutenção de um automóvel elétrico é igual ao de um carro com motor de combustão?

Não, não é igual. O custo de manutenção de um carro elétrico é inferior ao custo de um veículo com motor de combustão. São várias as razões: os automóveis elétricos têm cerca de 1% do número de peças móveis, quando comparados com os automóveis a motor de combustão; um automóvel elétrico não usa óleo no motor nem filtros ou correias, e não necessita efetuar revisões periódicas para substituir estes componentes. Necessita, apenas, de fazer uma revisão a cada 50.000 km. Como o motor de um veículo elétrico não possui velas, não implica o custo de as substituir a cada 50.000 km, nem líquido de refrigeração (que deve ser substituído a cada 2 anos ou aos 30.000 km).

Além disso, a maioria dos carros elétricos utiliza o motor para travar, o que permite utilizar a energia para recarregar as baterias. Esta característica é chamada de travagem regenerativa, a qual evita o desgaste das pastilhas dos travões, tal como dos pneus. Num veículo a combustão, a substituição de pastilhas de travões tem de ser efetuada, em média, a cada 60.000 km. Além da poupança nestes gastos, a manutenção anual de um automóvel elétrico também tem um custo mais baixo: de acordo com a UVE, custa em média 50€, contra os 180€ dos veículos com motor a combustão.

As oficinas estão preparadas para carros elétricos?

Sim, as oficinas oficiais das marcas de carros elétricos comercializadas em Portugal estão preparadas para proceder à sua manutenção.

 

E se ficar sem bateria em viagem?

O ACP oferece um serviço de assistência a veículos elétricos que permite a desempanagem móvel, efetuada por carrinhas preparadas para procederem a carregamentos na estrada em caso de falta de energia. Estes veículos são os primeiros em Portugal a oferecer este tipo de assistência, possibilitando aos sócios carregamentos até 30 minutos, permitindo que continuem viagem até ao posto MOBI.E mais próximo ou até casa. Desta forma, é evitado o transtorno do pedido de reboque na ausência de energia.

Ainda não é sócio ACP? Beneficie destas e de muitas outras vantagens.

Junte-se ao clube

scroll up