9 erros alimentares a evitar no Natal

Sugestões saudáveis para enfrentar as tentações da época festiva

Não estrague num mês um ano de alimentação saudável. Se andou o ano inteiro a praticar uma alimentação saudável vai deitar tudo a perder num único mês? Neste artigo vamos indicar-lhe os principais erros alimentares no Natal e dar-lhe sugestões para se manter saudável durante a época festiva.

1. O Natal é todos os dias, especialmente à mesa

Frequentemente, a época de abusos nas iguarias de Natal não se restringe apenas aos dias 24 e 25 de dezembro. É muito comum prolongar-se durante um mês a fartura à mesa. Porque antes do Natal há diversos jantares de convívio ou porque de seguida vem o dia de Reis e porque a alimentação saudável só começa depois do bolo-rei de 6 de janeiro. Tudo serve como desculpa para comer mal e em demasia. Certifique-se que restringe os erros alimentares do Natal aos dias 24 e 25 e opte por organizar o resto do mês de forma a não se privar do prazer e dos momentos de convívio. Tenha sempre presente que é fundamental dar especial atenção à sua saúde nesta época festiva.

2. Exagero de fritos

Rabanadas, sonhos, filhós, coscorões e outros tantos sabores típicos do Natal juntam-se na mesma mesa e está dado o mote para um dos erros alimentares do Natal: o excessivo consumo de fritos. Evite-os ao máximo e lembre-se que a estas receitas tradicionais se juntam outras tantas. O bolo-rei, o arroz doce, os frutos secos, o vinho, aperitivos e digestivos e toda uma panóplia de erros alimentares prejudiciais ao saudável equilíbrio do organismo. Os estudos indicam um ganho médio de peso nos adultos entre 0,5 kg a 3 kg no mês de dezembro. Não pelo que se come no dia e véspera de Natal, mas pelo que se vai comendo ao longo do mês.

3. Entradas a mais

A mesa está cheia de fritos, queijos, presunto, frutos secos, aperitivos salgados e outras tentações e vai-se petiscando muito antes da refeição iniciar. Este é mais um dos erros alimentares comuns no Natal. Sempre que possível opte por entradas saudáveis – por exemplo, queijo fresco, azeitonas e saladas – ou por iniciar a refeição com uma sopa de legumes e leguminosas como o feijão, grão ou ervilhas. A sopa sacia por um período mais longo de tempo, é fonte de vitaminas, fibra, minerais e antioxidantes, hidrata e fornece uma menor quantidade de calorias quando comparada com as restantes entradas tradicionais da época.

4. Más companhias

Regra geral, a refeição tradicional do Natal é até composta por opções bastante saudáveis. É comum levar à mesa o bacalhau, polvo ou peru. O problema não está no prato principal, mas no que se confeciona como acompanhamento. Modere o consumo de batatas e arroz e, sempre que possível, opte pelas tradicionais couves cozidas ou grelos, cogumelos, legumes diversos e saladas. Evite este pecado do Natal e selecione os melhores acompanhamentos, pois esta é a melhor opção para limitar a ingestão de calorias.

5. Mais frutose, menos açúcar

No campo das sobremesas lembre-se sempre que a quantidade importa. Não se restrinja demais, mas evite o abuso de doces. Invista numa grande e colorida salada de frutas, fonte de muitos nutrientes essenciais, de fibra, de água e de calorias ao mínimo. Siga esta estratégia como principal solução para moderar a vontade de se atirar às restantes “bombas calóricas” presentes na mesa de Natal.

6. Abuse da água

Esta é a parte esquecida nas preocupações relacionadas com a alimentação. Muito importante: a ingestão excessiva das tradicionais bebidas do Natal prejudica o seu bem-estar. As bebidas contam para a contabilidade calórica da refeição. Sumos e refrigerantes equivalem a 10-30 kcal/100ml, enquanto cerveja, vinho e espumante rondam as 20-70kcal/100ml. Se adicionarmos as bebidas destiladas e os licores podemos contar com mais 130-300 kcal/100ml. E, como sabemos, é raro bebermos apenas 100ml. Por exemplo, no caso dos refrigerantes, cada lata contém 330ml. Nestes dias festivos, escolha beber muita água. Até porque a água contribui para uma melhor diurese, para a regulação da pressão arterial, para o aumento da saciedade e, acima de tudo, evita que abuse das bebidas açucaradas e alcoólicas de maior valor calórico.

7. Pão q.b.

Numa mesa portuguesa, há sempre pão com certeza! Não exagere no seu consumo. Se considera este alimento essencial para acompanhar o prato principal ou como aperitivo, escolha pão fresco de qualidade, de vários tipos e de preferência integral ou de mistura. E lembre-se que o pão de qualidade é menos calórico, tem menos sal e gordura do que as bolachas, salgados e outros aperitivos tradicionalmente presentes na mesa de Natal.

8. Menos tempo passado no sofá

Se já sabe que vai abusar um pouco mais nesta época, deve ter presente a necessidade de compensar o maior consumo alimentar com um maior aumento de energias. Caminhar e passear em família ou passar uma hora no ginásio são boas opções para manter um bom nível de atividade física no Natal. Todos os minutos contam na missão de queimar calorias. O seu corpo agradece.

9. A vida não são dois dias

Os dias 24 e 25 são dias de festa, por isso festeje à vontade e não se restrinja em demasia. Viva em pleno a consoada, coma o que quiser, mas modere as quantidades. De 1 a 23 de dezembro pratique uma alimentação saudável e resista aos estímulos comerciais, apostados em colocar à sua frente as mais diversas tentações natalícias, capazes de comprometerem seriamente a sua saúde.


A nossa recomendação

Agora que já conhece os erros alimentares mais comuns desta época festiva, recomendamos que retome a alimentação equilibrada no dia 26, para entrar com a melhor energia no novo ano. Inclua a sua saúde na lista das resoluções para 2019 e ofereça a si próprio um Feliz e Saudável Natal!

scroll up