Conduzir em ponto morto: um mau hábito

As desvantagens e riscos que deve conhecer

Conduzir em ponto morto é uma estratégia frequentemente utilizada pelos condutores. Sobretudo em descidas ou num engarrafamento. A principal razão, acreditam alguns, prende-se com a poupança de combustível.

Saiba quais as razões pelas quais deve evitar conduzir em ponto morto, de modo a poupar mais combustível e a evitar um desgaste maior em vários componentes do carro. Além disso, circular “desengatado” é um comportamento pouco seguro.

O que acontece quando o carro está em ponto morto

Atualmente, a grande maioria dos carros possui injeção eletrónica. Esta tecnologia permite um controlo mais eficiente da mistura ar/combustível utilizada pelo motor. O componente responsável por esta mistura é a centralina do carro. Quando o carro está em movimento, com uma mudança engrenada e sem acelerar, o sistema de injeção corta a injeção do combustível. Muitas viaturas têm, inclusive, um mostrador de consumo instantâneo.

Experimente o seguinte: numa descida, engate a mudança adequada, levante o pé do acelerador e observe o valor do consumo instantâneo. Sim, é zero. Por outro lado, se estiver em ponto morto, continua a precisar de combustível para manter o carro em funcionamento. Portanto, ao conduzir em ponto morto numa descida está a consumir mais combustível do que com uma mudança engatada.

Desgaste e menor segurança

Se estiver a descer uma via em ponto morto, mais tarde ou mais cedo vai ter de travar. Se o fizer recorrentemente, o desgaste dos travões vai ser exponencial. O seu veículo em ponto morto ganha mais velocidade com a inércia, visto que não possui o auxílio do motor engatado.

Com o motor na mudança certa vai ajudar a reduzir a força de inércia, poupando combustível (porque não está a acelerar). O caso dos travões é particularmente importante, visto que há sempre o perigo de sobreaquecerem, com implicações graves no seu funcionamento e, sobretudo, na sua segurança e na dos restantes utentes da via.

 

Como poupar na condução

A melhor forma de poupar no combustível e nos componentes do seu carro é adotar um conjunto de medidas de eco-condução que permitem tirar maior partido da sua viatura.

Exemplo: tenha uma atitude criteriosa na utilização do acelerador. Lembre-se que menos aceleração implica menos combustível gasto. Para tal, deve optar pela mudança certa consoante as necessidades, sempre com atenção em engrenar a mudança mais alta possível, sem que o carro necessite de grande pressão no acelerador para circular.

Outra forma de poupar na sua condução passa pelo seguro automóvel. O Seguro Auto ACP tem um preço fixo de 10,99€/mês seja qual for a cilindrada do seu carro e não inclui limite de idade do veículo, entre outras vantagens.

Quero saber mais

scroll up