8 formas de prevenir a gripe

Mais prevenção, menos remédios

Chegou aquela altura do ano em que os sinais não enganam: espirros, tosse, narizes vermelhos, lenços e mais lenços. Na verdade, pode-se apanhar uma constipação ou gripe em qualquer época do ano, mas é certo que as condições climatéricas do inverno ajudam. Por isso, prevenir é o melhor remédio.

1. Lave as mãos 

Embora a maior parte das infeções sejam transmitidas pelo ar, podem também ser transmitidas pelo contacto físico, quando as mãos infetadas tocam em zonas vulneráveis, como os olhos, boca e nariz. Lavar as mãos frequentemente pode reduzir de forma significativa as hipóteses de infeção por vírus.  

2. Tussa para o cotovelo e use a máscara sempre que sentir os primeiros sinais  

É quase instintivo taparmos a boca e o nariz com a nossa mão assim que sentimos um espirro a caminho. Mas este não é o comportamento mais adequado. Ao tossirmos ou espirrarmos para as mãos, estamos a fazer com que o vírus, e outras bactérias, circule livremente pelos vários objetos nos quais tocamos ao longo do dia — maçanetas de portas, telemóveis, chaves, talheres, entre outros —, aumentando assim o nível de transmissibilidade. Para evitar tais situações, tussa para o cotovelo ou para um lenço de papel e deite-o logo a seguir no lixo.   

Outra medida de prevenção é o uso da máscara: use-a sempre que sentir os primeiros sintomas da gripe. 

3. Evite tocar nos olhos e no nariz

Tão importante como lavar frequentemente as mãos está uma medida da qual nos esquecemos por parecer tão inócua: não tocar na cara. Os olhos e o nariz são sítios onde a transmissão é mais provável, pois temos o hábito de lhes tocar sempre que sentimos comichão. Mas, de um momento para o outro, e com os dedos das mãos contaminados, os olhos e o nariz funcionam como uma porta de entrada para o vírus. Existem algumas práticas que quebram este hábito, entre elas desinfetar as mãos antes de as levar à cara, usar um lenço limpo ou até mesmo o nosso cotovelo. 

4. Areje bem a sua casa

Arejar a casa é uma prática de higiene diária que não requer grandes esforços e pode trazer vários benefícios para si e para quem vive consigo. Ao prevenir problemas do foro respiratório, evita também o aparecimento de ácaros, bactérias e previne ainda concentrações indesejadas de monóxido de carbono. Se viver com crianças, idosos ou outras pessoas com um sistema imunológico mais debilitado, não se esqueça de abrir as janelas e levantar os estores durante algum tempo todos os dias. 

 

5. Não partilhe objetos de uso pessoal

Não beba de um copo que não seja o seu; não use os talheres de outra pessoa; não utilize objetos de higiene pessoal de outra pessoa quando se esquece dos seus. Todos estes cenários abrem portas a um contágio mais facilitado, mas que pode ser evitado se tomarmos as medidas corretas.  

6. Evite o contacto com pessoas que apresentem sintomas 

O vírus da gripe espalha-se pelo ar em gotículas quando alguém portador do mesmo tosse, espirra ou fala. Estas gotículas podem ser inaladas diretamente, o que aumenta a probabilidade de transmissão em espaços com um elevado número de pessoas, ou com uma ventilação fraca. Assim, evite grandes aglomeramentos de pessoas e preste atenção a quem apresente os sintomas mais ligeiros — tosse seca, febre, fadiga —, quer seja no seu local de trabalho, em sua casa ou entre amigos. 

7. Vacine-se 

A vacinação é talvez a forma mais rápida e eficaz de nos protegermos do vírus da gripe. O processo de agendamento já se encontra disponível e a decorrer por ordem decrescente de idades, começando pelos utentes com idades iguais ou superior a 80 anos. Consulte aqui os grupos prioritários para o plano deste ano e proteja-se. 

8. Escolha um estilo de vida saudável  

Escolher um estilo de vida mais saudável não só é importante para prevenir o vírus da gripe neste inverno, como pode ajudá-lo a viver com qualidade a longo prazo. Não é preciso fazer mudanças drásticas no seu dia a dia, nem definir um orçamento exagerado para incentivar novos hábitos: pequenos gestos podem fazer uma grande diferença no seu bem-estar mental e físico e podem passar por ações tão simples como: 

  • Mexa-se. Pelo menos uma vez por dia, divirta-se, conviva, ria, etc. Estes movimentos ajudam a alcançar a imunidade ao longo desta estação mais fria; por sua, o exercício aumenta o número de células protetoras que viajam pelo corpo; 
  • Beba água. As constipações e gripes são infeções virais. Por isso, os antibióticos devem ser apenas tomados em casos graves de infeções bacterianas. Uma das melhores defesas passa pela hidratação: cerca de 8 copos de água por dia ajudarão à boa função dos rins e a expulsar toxinas. 
  • Durma bem. A ausência de umas boas horas de sono (em quantidade e em qualidade) enfraquece o sistema imunitário e torna-nos mais vulneráveis a infeções. Sob stress, ficamos mais sujeitos a doenças, em comparação com os momentos de tranquilidade que uma boa noite de sono nos pode proporcionar. 
  • Saiba o que comer. Escolher uma alimentação saudável é imperativo para uma vida prolongada, mas as temperaturas baixas requerem escolhas adequadas e que ajudem a defender o nosso organismo. Opte por alimentos ricos em vitaminas A, C, B6, B12, D, e E. Hortícolas, frutas e peixes gordos, como a sardinha, a cavala e o atum, são também excelentes opções para reforçar as defesas naturais do nosso corpo. 

 

Qualquer coisa, chame o médico a casa

Mas se a gripe acontecer, ou em caso de dúvidas, não necessita de correr para as urgências de um hospital. Todos os sócios ACP têm acesso ao serviço de médico em casa por 10€/consulta e aconselhamento telefónico gratuito 24h/365 dias. Uma rede de apoio que faz toda a diferença, especialmente nesta época do ano. Basta ligar 808 22 22 22.

Saiba mais

 

O conteúdo deste artigo tem caráter informativo e não dispensa a consulta do seu médico.
scroll up