Alzheimer e Parkinson: como prevenir e combater as doenças mentais

Sintomas, fatores de risco e tratamentos das doenças mentais mais comuns

Atualmente, mais de 20% dos adultos com mais de 55 anos têm ou tiveram um problema de saúde mental. Embora estas doenças sejam frequentemente negligenciadas e difíceis de diagnosticar em idosos, os seus efeitos podem afetar o estado de saúde e o bem-estar da pessoa afetada, e complicar o tratamento de outras doenças crónicas.

Infelizmente, estas patologias têm uma prevalência e incidência cada vez maiores no mundo ocidental. Conheça os sinais e sintomas de três das doenças mentais mais prevalentes em Portugal e saiba quais as melhores formas de manter o cérebro ativo e prevenir as doenças mentais.

Alzheimer

O Alzheimer é o tipo mais comum de demência, com uma deterioração global, irreversível e progressiva de diversas funções cognitivas (memória, atenção, concentração, raciocínio, linguagem, entre outras). Esta deterioração conduz a alterações do comportamento, da personalidade e da capacidade funcional, dificultando a realização das atividades diárias.

Os sintomas podem ser muito subtis nas fases iniciais do Alzheimer, acabando por se agravar à medida que as células cerebrais vão morrendo. No entanto, o Alzheimer costuma dar os primeiros sinais através de lapsos de memória e dificuldade em encontrar as palavras certas para objetos do quotidiano.

Para reduzir o risco de desenvolvimento de demência, lembre-se das diferentes vertentes da sua saúde: mantenha o cérebro ativo, faça uma alimentação saudável, pratique exercício físico, faça exames médicos regulares, participe em atividades sociais, não fume, beba com moderação, durma bem e proteja a cabeça de lesões físicas.

Depressão

Tem-se observado um aumento da prevalência da depressão no idoso, sendo a perturbação mental mais comum nesta população.

Se não for tratada, a depressão pode levar a deficiências físicas e mentais, e afetar o desempenho social do doente. Além disso, pode interferir com os sintomas e o tratamento de outras doenças crónicas. Para piorar, a depressão geriátrica é frequentemente subvalorizada, quer pela sua apresentação clínica vulgarmente atípica, com sintomas somáticos e alterações cognitivas superiores aos sintomas afetivos, quer pelo facto de muitos idosos atribuirem os sintomas da depressão a doenças fisiológicas.

Na depressão, a palavra de ordem é a prevenção. Para prevenir esta doença no idoso é importante combater os fatores de risco mantendo, por exemplo, uma alimentação saudável e a prática regular de exercício físico. A solidão é um fator de risco muito frequente, pelo que é importante manter a integração social, procurar atividades que dêem prazer e mantenham a pessoa ativa, continuar a aprender criar novos relacionamentos e ajudar o idoso a perceber que ainda pode ser muito útil.

Parkinson

A doença de Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais comum, afetando mais de 13 mil portugueses. Surge por volta dos 60 anos, quando determinadas células nervosas cerebrais morrem. Estes neurónios produzem dopamina, substância que ajuda a transmitir mensagens entre áreas do cérebro cuja função é controlar os movimentos corporais. A sua inexistência dificulta o controlo da tensão muscular e dos movimentos.

No início da doença, o diagnóstico é mais difícil de identificar. No entanto, esta doença neurodegenerativa caracteriza-se por alguns sintomas comuns: tremores, rigidez muscular, dificuldades em caminhar, de equilíbrio e em engolir.

Além dos tratamentos atualmente disponíveis, não se esqueça do papel do exercício físico. Este deve estar presente desde o início da doença e durante a sua progressão, já que promove a mobilidade, estimulando a autonomia e a autoestima.

 

O tratamento da saúde mental em idosos é um esforço de equipa, especialmente quando estes ficam incapazes de cuidar de si próprios. É importante garantir aos idosos a ajuda necessária, mal sejam detetados os primeiros sintomas. Promover o envelhecimento ativo e saudável através da criação de condições de vida e de ambiente que apoiem o bem-estar e permitam uma vida saudável, permitirá prevenir os problemas e proteger a saúde mental do idoso.

 

Acidentes e doenças podem surgir em qualquer fase da vida. Proteja-se.
Conheça o seguro A Idade Não Conta. Pode aderir com qualquer idade e protege-o toda a vida.
Saiba mais

scroll up