Sistema start-stop: tudo o que precisa de saber

Uma ajuda para poupar combustível e reduzir emissões

Certamente que já ficou ao lado de um automóvel que parece desligar-se ou está desligado num semáforo. Tal acontece porque o veículo tem incorporado o sistema start-stop. A ideia não é nova. Na verdade, remonta aos anos 70, mas apenas agora se massificou. O objetivo é simples: desligar o motor quando este não está a ser necessário. As vantagens são várias, mas há sempre alguns contras. Saiba tudo neste artigo.

Como funciona

Comecemos pelo básico: o funcionamento do sistema start-stop. Enquanto nos automóveis sem este sistema, o motor está em constante funcionamento, nos veículos com sistema start-stop, o propulsor é desativado nas pequenas paragens, mantendo-o em stand-by e voltando a ligar-se quando se tira o pé do pedal do travão ou quando se pisa a embraiagem (depende dos automóveis).

Quando se encontra parado, o veículo corta o funcionamento das velas e a injeção de combustível. A forma como tal acontece depende da transmissão do carro - automática ou manual:

  • Nos carros com transmissão automática: acontece quando se pressiona o pedal do travão até à imobilização do veículo.
  • Nos carros com transmissão manual: acontece quando se coloca o automóvel em ponto morto. Para voltar a ligar o automóvel, basta tirar o pé do travão ou pisar a embraiagem.


O que sabe sobre o sistema start-stop?

Teste os seus conhecimentos com um teste no final deste artigo.


Características do sistema start-stop

Os carros com sistema start-stop têm bateria e motor de arranque com características diferentes. Só desta forma seria possível ligar e desligar o motor sem grande desgaste. Mas existem outras especificações nos automóveis com esta funcionalidade.

  • Bateria

Nos novos automóveis com sistema start-stop, utilizam-se baterias AGM (Absorbent Glass Mat), que carregam e descarregam rapidamente — ao contrário das baterias de chumbo que se utilizam em carros sem este sistema, e que descarregam lentamente e demoram a carregar. Pelo contrário, as baterias AGM carregam rapidamente enquanto o veículo está em movimento. Além disso, estas baterias têm uma maior capacidade de armazenamento de energia.

  • Motor de arranque

Com o sistema start-stop, o número de arranques efetuados durante as deslocações é mais elevado face aos restantes veículos sem o sistema. É por isso que o motor de arranque é reforçado, de modo a aumentar a vida útil e suportar os contínuos arranques do motor.

  • Alternador

Também o alternador dos veículos com sistema start-stop é diferente, pois é desenhado para ter um rendimento especialmente alto que diminui o consumo de combustível e as emissões de dióxido de carbono (CO2). Trata-se de um alternador inteligente, mais eficiente a baixas rotações uma vez que a sua potência elevada permite um rápido carregamento da bateria.

  • Sensores e módulo de carregamento

Do sistema start-stop faz parte uma unidade de controlo específica, gerida por sensores de velocidade e um módulo (instalado no negativo da bateria). São estes que designam se o automóvel para ou não, dependendo do estado da carga. Assim, se não tiver acumulação suficiente de energia, o veículo não para. Exemplos: ao viajar com ar condicionado ou luzes ligadas.

O seu sistema start-stop não funciona? Verifique esta lista.

Por vezes, este sistema deixa de funcionar, o que não significa que esteja avariado. Apesar de cada fabricante implementar o sistema start-stop com medidas de segurança distintas (tornando-se, assim, imprescindível ler o manual de instruções), há causas comuns para este não entrar em funcionamento:

  • Bateria: se o veículo já tiver alguns anos, a bateria pode ser a responsável pelo não funcionamento deste sistema. É que em automóveis com start-stop, as baterias são maiores e têm maior desgaste, dado o sistema ser elétrico. Se estiver na hora de a trocar, escolha um parceiro especializado, como os Serviços Rápidos ACP ou ligue 808 22 22 22 e solicite a assistência em viagem que lhe troca a bateria no local.
  • Cinto de segurança: é obrigatório na estrada e, por isso, cada vez mais automóveis inibem determinadas funções quando não detetam o cinto colocado. É o caso do sistema start-stop: se não tiver o cinto de segurança posto, o sistema não vai funcionar — a bem da segurança rodoviária.
  • Temperatura do motor: todo o sistema de um automóvel necessita de ser lubrificado, refrigerado e arrefecido. Assim, quando a temperatura do motor é elevada (sobretudo em viagens longas ou devido à temperatura exterior), o sistema start-stop pode não funcionar. Tal acontece por não ser aconselhável que o motor desligue abruptamente, para evitar o choque térmico.
  • Inclinações acentuadas: uma vez que em subidas acentuadas o intuito é não deixar descair o carro, o sistema start-stop deixa de funcionar nestas circunstâncias — pois para atingir o objetivo, o sistema prevê que o motor deve continuar ligado.
  • Consumo elétrico: o sistema start-stop é elétrico. Logo, se tiver vários componentes elétricos do carro ligados, como o ar condicionado, luzes ou um smartphone a carregar, vai sobrecarregar a bateria. Para que funcione tudo corretamente, o sistema start-stop vai permanecer desativado.

Se o sistema start-stop do seu carro não funciona independentemente dos pontos descritos, o melhor é visitar quem sabe e dirigir-se a uma oficina para que o seu veículo possa ser analisado.

Sistema start-stop: os contras

Nenhum sistema é perfeito, havendo sempre algumas desvantagens na sua utilização. É o que acontece com o start-stop: apesar de ter mais benefícios do que desvantagens, estas últimas também existem:

  • Ar condicionado com capacidade reduzida: o sistema start-stop e o ar condicionado ligado nem sempre funcionam ao mesmo tempo. Quando acionados em simultâneo, sobrecarregam a bateria. É por isso que, muitas vezes, o ar condicionado se desliga ou, em alternativa, o fluxo de ar é drasticamente reduzido por instantes.
  • Ruído ao ser ativado: sempre que para e o sistema start-stop é ativado, ao reiniciar a marcha, ouve-se o ruído do motor a reeiniciar. Este ruído multiplicado por outros tantos automóveis pode tornar-se incomodativo.
  • Bateria mais cara: por necessitarem de uma bateria mais potente, estas são sempre mais caras quando chega a altura de a trocar.

Sistema start-stop: os prós

Mas sejamos realistas: as vantagens do sistema start-stop sobrepõem-se às desvantagens. Afinal de contas, os prós deste sistema não se prendem apenas com questões económicas, mas também ambientais:

  • É opcional: apesar de ter o sistema start-stop incorporado, o condutor não é obrigado a utilizá-lo, podendo desativá-lo e ativá-lo quando entender. Na maioria dos automóveis, basta pressionar o botão com um “A” junto a uma seta no sentido dos ponteiros do relógio para desativar este sistema. Noutras viaturas, pode fazê-lo a partir do computador de bordo. Porém, sempre que o fizer, é normal que ao voltar a ligar o carro, tenha de voltar a desativar o sistema. Caso pretenda desativá-lo permanentemente, peça ajuda a um especialista.
  • Poupa combustível: é a principal mais-valia do sistema start-stop. Por “desligar” o motor quando não está a ser necessário, está a poupar combustível.
  • Menos ruído no habitáculo: Sobretudo se o carro funcionar a diesel, o sistema start-stop permite oferecer mais conforto sonoro, uma vez que o motor está desligado.
  • Mais amigo do ambiente: ao desligar o motor quando não está a ser necessário, reduz a emissão de CO2 para a atmosfera. Portanto, o ambiente também ganha com o sistema start-stop.

É agora. Faça este teste e ponha à prova os seus conhecimentos. 

 

 

A manutenção de que precisa

Tem dúvidas sobre o sistema start-stop do seu automóvel ou acha que precisa de manutenção? Os Serviços Rápidos ACP dão-lhe o auxílio de que precisa, com a qualidade e confiança do clube, sempre prestados por mecânicos credenciados e com peças originais selecionadas. E se for sócio ACP, tem um benefício extra: até 30% de desconto em material. Depois, é só seguir viagem em segurança, com ou sem o sistema start-stop ativo.

Saiba mais

scroll up