Evans vence no México com Félix da Costa em segundo

|AUTOCLUBE

Mitch Evans saltou do segundo posto da grelha para vitória dominadora, enquanto Félix da Costa escalou de nono ao intermédio do pódio.

FE-MEX

Andre Lotterer larga da pole com o Tag Heur Porsche, mas viu-se relegado para quarto logo na Curva 1, enquanto Mitch Evans saltou para a liderança com o Panasonic Jaguar Racing.

Pouco depois, no início da segunda volta, Nico Muller, da Geox Dragon, falhou a entrada para a Curva 1 e levou à entrada do Safety Car em pista.

Com o reatar da corrida, a 35 minutos do final, Evans isolou-se, mesmo com a nova regra desta época que priva os monolugares de 5kW de potência durante cinco minutos após a saída do Safety Car.

Enquanto isso, a Curva 1 fez mais uma vítima, com Felipe Massa, da Rokit Venturi Racing, a tocar no muro e acabar a corrida mais cedo devido aos danos sofridos no carro.

Ao mesmo tempo, Evans aumentava a vantagem na frente, enquanto Sam Bird, da Envision Virgin Racing, passava Sebastien Buemi, da Nissan e.dams, para subir a segundo. Com a luta pelo pódio ao rubro, Lotterer caiu ainda mais na classificação enquanto a asa frontal danificada deixava uma nuvem de fumo atrás de si. O alemão acabou depois por ir à box substituir o componente danificado que entretanto perdeu, mas depois viu-se forçado a desistir.

Já o Campeão Jean-Eric Vergne, da DS Techeetah, rodava atrás do colega de equipa António Félix da Costa em sexto e sétimo. Atrás de Vergne rodava Lucas di Grassi, da Audi Sport Abt Schaeffler, rodava em oitavo.

A 17 minutos do final, Nyck de Vries, da Mercedes-Benz EQ, falhou a travagem no final da reta da meta quando tentava defender a quinta posição dos ataques de Félix da Costa. De Vries tocou no Envision Virgin Racing de Robin Frijns antes de parar no final da reta.

Promovido a quinta, Vergne manteve-se atrás de Félix da Costa, com ambos a discutirem via rádio com a equipa qual a estratégia a seguir. No final, Félix da Costa acabou por conseguir subir a terceiro ao bater Buemi.

A cinco minutos do final Evans continuava a isolar-se, enquanto Bird se via mais pressionado por Félix da Costa, de tal forma errou na Curva 3 e acabou na parede. O português passava assim para segundo, posição em que acabou por terminar à frente de Buemi.

scroll up