Fiat 127 faz 50 anos

|AUTOCLUBE

Chegou a ser o carro mais vendido em Portugal pelo desempenho e generoso espaço interior.

Fiat-127-840

Lançado em 1971, o Fiat 127 foi um sucesso desde o seu nascimento pelas inovações que trazia. Por cá fez parte da vida de muitos portugueses, sendo ainda hoje um carro com presença assídua em passeios de clássicos. Vamos conhecer um pouco da história de um dos modelos mais emblemáticos da marca italiana.

Este compacto chegou ao mercado há 50 anos para substituir o Fiat 850 e foi desde logo um êxito de vendas, sobretudo pelo desempenho, um dos melhores no seu segmento, e excelente espaço interior. Em 1972 conquistou o prémio de Carro Europeu do Ano e em 1974 chegou a ser o carro mais vendido em Portugal, embora com um preço ligeiramente acima da média – o equivalente a 475 euros.

O Fiat 127 equipava um motor dianteiro transversal, tração dianteira, design moderno e uma carroceria compacta com um interior espaçoso. Com apenas 3,6 metros de comprimento, 1,53 de largura e 1,37 de altura, cerca de 80% do carro estava disponível para até passageiros e bagagens. Debaixo do capot, situava-se o motor de 903 cc com 47 cavalos que permitia chegar aos 135 km/h, a solução que mais vendeu. Existia ainda outro com 1050cc.

O baixo consumo associado ao nível de comportamento em estrada, fizeram com que este modelo correspondesse às intenções da marca na época. Fabricar um excelente produto que soube ir ao encontro das necessidades dos seus clientes.

Campeão de vendas e com uma vida comercial longa, o 127 ultrapassou fronteiras. Em Espanha foi produzido sob licença da Seat, na Polónia foi encomendado pela empresa FSO, que o comercializou como Polski-Fiat 127 e foi fabricado do outro lado do Atlântico no Brasil, Argentina e Colômbia com o nome Fiat 147.

Com várias gerações, o 127 manteve-se em produção até 1987, fazendo com que desde o seu lançamento, em 1971, atingisse um total de 3,8 milhões de unidades produzidas.

scroll up