Isabel Colher: “o meu avô desenhou um emblema do ACP”

| Revista ACP

A ceramista e restauradora de azulejos sente-se ligada ao clube através do seu avô que no final dos anos 20 foi o autor de um emblema do ACP

@video=Z0dH-GOidI8

Isabel Colher é uma das grandes especialistas no restauro de azulejos tradicionais portugueses, mas foi através da cerâmica que se iniciou nesta atividade.

Concluída a sua formação na António Arroio seguiu em frente e tirou o curso de conservação e restauro de azulejos no Museu do Azulejo.

A recuperação de azulejos antigos ocupa a maior parte do seu tempo já que é muito requisitada não só por particulares como por inúmeras instituições do Estado para cuidar deste património muito português que em sua opinião foi esquecido durante muitas décadas.

Mas, em boa hora, o azulejo voltou a estar na moda e é crescente o interesse na sua preservação.

 

Newsletter Revista
Receba as novidades do mundo automóvel e do universo ACP.

Hoje, Isabel Colher passa mais horas no seu atelier mas houve um tempo em que percorreu o País de lés a lés na senda da conservação e restauro de azulejos sempre ao volante da sua “velhinha” 4L que por nunca a ter deixado ficar mal, recorda com saudade.

Além da referência às muitas viagens que fez de Norte a Sul e da costa ao interior em trabalho, a ceramista e restauradora confessa uma especial ligação ao clube através do seu avô Ernesto Santos Silva que no final da década de 20 desenhou um emblema do ACP, que foi utilizado entre 1928 e 1930.


Este e outros podcasts estão disponíveis nas plataformas


scroll up