De autocaravana pela Costa Vicentina

|AUTOCLUBE

Com este tipo de turismo a crescer exponencialmente, sobretudo por causa da pandemia, eis uma sugestão de rota pela costa alentejana e Algarve. 

autocaravana-1

As autocaravanas são o último grito das férias de 2020. Segundo várias empresas do setor, o crescimento de reservas por parte de portugueses tem crescido este ano na ordem dos 300%. A razão parece ser simples: aliando independência com a casa às costas, as autocaravanas permitem um distanciamento físico tão necessário nos tempos que correm. E permitem tomar decisões mais repentinas isto é, a liberdade de escolher o local de dormida consoante as circunstâncias. E é esta a liberdade que está a convencer tantos novos adeptos.

Para quem vai se iniciar neste tipo de férias, nada como percorrer uma das rotas mais cobiçada pelos milhares de autocaravanistas estrangeiros que todos os anos visitam Portugal: a Costa Vicentina e o Sudoeste Alentejano. Trata-se de uma reserva protegida com uma extensão de 110 km, que vai desde São Torpes, a sul de Sines, até ao Burgau, já na costa algarvia. 

Com paisagens de cortar a respiração, é aqui que se ouvem nomes como praia de Arrifana, Bordeira, Monte Clérigo, Amado ou Vale dos Homens, entre muitas outras. Todas elas são a garantia de uns dias bem passados, tanto pela qualidade do areal como do clima, pelo que vale a pena gastar aqui uns dias.   

Eis uma possível rota de sete dias, tomando Lisboa como ponto de partida e de regresso. O tempo, aqui, é relativo e por isso o número de dias indicado é meramente uma sugestão. Caso queira abdicar de alguns dos locais ou relaxar mais tempo nalgum deles, poderá fazer este itinerário em menos ou mais tempo. Considere como referência uma velocidade média de 60 km/h, um valor razoável para quem ainda não está totalmente familiarizado com a condução de autocaravanas, seja ela uma campervan (carrinha transformada em casa ambulante), uma integral (as mais luxuosas e mais caras), uma capucino (conhecida pela sua cama no sótão da cabine) ou uma perfilada (mais pequena e sem a cama no sótão). 

Dia 1: Lisboa – Comporta

Dia 2: Comporta – Sines – São Torpes – ilha do Pessegueiro – praia do malhão – V.N Mil Fontes

Dia 3: Mil Fontes (Furnas) – Praia da Almograve – Praia da Amália – Praia de Odeceixe

Dia 4: Odeceixe – Praia da Arrifana – Praia da Bordeira – Praia do Amado – Sagres – Praia da Boca do Rio

Dia 5: Praia da Boca do Rio – Sagres – Praia do Barranco

Dia 6: Praia do Barranco – Cabo Sardão

dia 7: Cabo Sardão – Porto Covo – Samoqueira – Lisboa

Seis dicas para quem vai de autocaravana pela 1ª vez:

1. Conhecer a autocaravana

2. Delinear o percurso

3. Investigar os caminhos

4. Planear as refeições

5. Saber onde pernoitar e fazer despejos

6. Ter consciência que imprevistos acontecem

Onde se pode estacionar para pernoitar na autocaravana?

A primeira coisa que se deve referir é que, devido à pandemia, este ano foi proibido o estacionamento de autocaravanas nos parques de estacionamento junto à praia, uma medida contestada pelas associações de autocaravanistas, por a consideraram discriminatória. O ideal é escolher sempre os parques de campismo ou de autocaravanismo.    

scroll up