10 carros cujo visual chocou o mundo como a Tesla Cybertruck

|AUTOCLUBE

A pick-up elétrica Tesla Cybertruck escandalizou o mercado pelo seu design mas não foi a primeira a chocar o mundo.

Tesla-Cybertruck-840

Para uns a Cybertruck soou como piada, outros viram-na como um modelo revolucionário. Opiniões à parte, a verdade é que esta pick-up eléctrica não passou despercebida em todo o mundo e até conseguiu conquistar fãs. Só para se ter uma ideia, em apenas 15 dias a Tesla registou 250.000 pedidos, que só serão entregues em 2021.

Mas não é caso único. Houve outros modelos que nas suas épocas espantaram o público quando foram revelados. Conheça mais 9 carros que se juntam à Cybertruck em matéria de originalidade e inovação:

Bugatti Type 57SC Atlantic (1936)

Num tempo em que todos os carros eram muito parecidos e a carroçaria apenas servia para cobrir o chassis, a Bugatti lançou um coupé que impressionou pelas suas linhas esguias, reduzida altura em relação ao solo, portas envolventes e um capô bastante longo.

Tucker Torpedo (1948)

É verdade que o farol central já tinha sido pensado dez anos antes, mas o do Tucker Torpedo era mais completo, pois seguia o movimento da direcção do volante para iluminar o caminho. Outra inovação que este modelo apresentava era o seu motor traseiro de avião, dois porta-malas e um sistema de segurança reforçado.

Chrysler Airflow (1934)

Qual era o construtor que em meados da década de 30 priorizava a aerodinâmica nos seus modelos, numa época em que a gasolina era barata, não havia túneis de vento para testar os modelos antes de passarem à fase de produção e os voos comerciais eram uma raridade? Pois bem, a Chrysler projectou um carro que desde logo se destacou graças às suas linhas fluídas para inspirar velocidade.

Mini (1959)

No final da década de 50, este citadino deu nas vistas pelas suas dimensões compactas, que acolhiam quatro ocupantes de forma confortável, espaço para bagagem, consumos bastante moderados e capacidade para circular em pisos mais agrestes. No desporto, o Mini venceu diversos ralis.

Ford Taurus 3a geração (1996)

Há que reconhecer que a Ford ousou no lançamento do Taurus, tão diferente do seu campeão de vendas na época, ao propor um modelo de linhas ovaladas (inspiradas no logotipo da marca) numa época em que os carros ostentavam uma estética algo antiquada.

Cord 810/812 (1935)

Faróis ocultos, portas sem dobradiça externa, capot prolongado até à parte da frente, chassis monobloco (que eliminava os velhos estribos) e tração dianteira. O Cord foi o primeiro carro americano a ter, nos anos 30.

Citroën DS (1955)

“O DS é o novo Nautilus”, disse o filósofo Roland Barthes ao comparar este carro com o famoso submarino da ficção, também revolucionário por equipar a suspensão hidropneumática que lhe deu a fama mundial de “incapotável”.

Plymouth Prowler (1997)

Os hot rods carros dos anos 30 e 40 que os jovens do pós-guerra modificavam para serem únicos. Imagine-se agora o rebuliço quando a Plymouth, divisão da Chrysler, decidiu criar um hot rod de produção.

Mercedes-Benz 300 SL (1954)

Se hoje os desportivos com portas do tipo “asas de gaivota” ainda são raros, qual não terá sido o espanto quando em 1954 a Mercedes-Benz apresentou o seu 300 SL, um modelo bonito e muito competente nas pistas.

Renault Vel Satis (2001)

Talvez o Vel Satis seja o carro que mais se assemelha ao novíssimo Cybertruck da Tesla. Isso mostra como os franceses já ousavam muito antes e exemplos não faltam com o Avantime, DS e o primeiro C4 Cactus, mas o Vel Satis exagerou com sua traseira bizarra num hatch de porte gigante.

scroll up