F1 dá luz verde ao GP de Portugal a 2 de maio

|AUTOCLUBE

Decisão coloca ponto final nas incertezas quanto ao figurino do início da época de 2021 do Campeonato do Mundo de Fórmula 1.

F1-PRT

Após algumas semanas de incerteza provocadas pelo atual estado da pandemia de Covid-19 em Portugal, a Fórmula 1, de acordo com o apurado pelo Autosport britânico, deu luz verde ao Grande Prémio de Portugal a 2 de maio, em Portimão, o que é dado a conhecer formalmente às equipas nesta quinta-feira.

É certo que o País ainda se encontra em Estado de Emergência e com o confinamento em vigor, mas a melhoria que se tem verificado nos números de novos casos, e as perspetivas positivas as próximas semanas e meses, deixaram a Fórmula 1 e os organizadores da prova portuguesa satisfeitos o suficiente para trocar o “TBC” atualmente no calendário pelo circuito de Portimão, como se falava já há algumas semanas.

A decisão quanto à ronda nacional oficializa também o arranque da época no Bahrein, a 28 de março, e a segunda prova em Imola, a 18 de abril.

Contudo, esta confirmação da realização do Grande Prémio de Portugal traz consigo complicações para as equipasdadas a atual imposição de quarentena imposta pelo Reino Unido. Isto significa que quem queira entrar em Terras de Sua Majestade com proveniência de Portugal tem de cumprir uma quarentena obrigatória de 10 dias num hotel. Algo a que ninguém está isento, nem mesmo os desportos de elite.

Resultado: o pessoal das equipas sedeadas em Inglaterra não vai poder regressar a casa vinda de Portugal antes do Grande Prémio de Espanha, a 9 de maio. Mas, em boa verdade, tal não deverá representar grande problema uma vez que com as provas a serem disputadas em fins-de-semana consecutivos o mais certo é que todo o “circo” da Fórmula 1 saia diretamente de Portimão rumo a Barcelona para a ronda espanhola sem sequer irem a casa para trocar de mala.

Mesmo assim, o regresso a Inglaterra só deverá ter lugar alguns dias após o GP de Espanha, isto porque para se entrar no Reino Unido sem quarentena só passados 10 dias sobre a saída de Portugal.

scroll up