E vão seis para Hamilton em Barcelona

|AUTOCLUBE

Lewis Hamilton igualou recorde de Michael Shumacher ao assinar o sexto triunfo no circuito catalão.

Ham-CAT

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) venceu hoje o Grande Prémio de Espanha de Fórmula 1 pela sexta vez, igualando o recorde do alemão Michael Schumacher em Barcelona e reforçando a liderança do Mundial de pilotos.

Hamilton concluiu as 66 voltas ao circuito de Montmeló, na Catalunha, em 1:33.07,683 horas, deixando o holandês Max Verstappen (Red Bull), segundo classificado, a 15,841 segundos e o finlandês Valtteri Bottas (Mercedes) terceiro, a 26,610.

Esta foi a 98.ª vitória na F1 do britânico, atual campeão do mundo, que venceu três das quatro corridas disputadas na temporada de 2021, a segunda consecutiva depois do triunfo no Grande Prémio de Portugal.

Saindo da ‘pole position' pela 100.ª vez na carreira, o piloto da Mercedes viu-se batido por Max Verstappen logo na primeira curva, ‘levantando o pé’ para evitar uma colisão com o holandês, que travou mais tarde e ganhou a posição interior da curva um.

Valtteri Bottas viu-se surpreendido pelo monegasco Charles Leclerc (Ferrari) e precisou das voltas iniciais para recuperar um lugar no pódio.

O Mercedes de Hamilton esteve sempre mais rápido do que o Red Bull de Verstappen e foi isso que permitiu à equipa germânica surpreender os rivais na estratégia.

Depois de um primeiro momento em que tardaram em reagir à primeira paragem de Verstappen para trocar de pneus (naquela que deveria ser, em teoria, a única), os homens da Mercedes fizeram Hamilton regressar às boxes quando o britânico já estava ‘colado’ ao Red Bull e poderia reconquistar a liderança.

"O trabalho está a resultar. A Red Bull fez um grande arranque. Estive perto durante tanto tempo. Voltar [à pista] com 20 segundos [de atraso] foi arriscar, mas foi bem jogado pela equipa", referiu um aliviado Hamilton no final da corrida.

O britânico reentrou após a segunda troca de pneus (outra vez médios) na terceira posição, a 22 segundos de Verstappen e atrás do companheiro de equipa, quando faltavam 24 voltas para o final.

A partir daí encetou uma recuperação que o levou à liderança em apenas 18 voltas.

"Fazia parte da estratégia que tínhamos para o fim de semana. Tínhamos dois médios preparados. Sei por experiência própria que com uma paragem é complicado. Fiz o que a equipa me pediu e resultou. Que dia", concluiu o campeão mundial.

Já Max Verstappen sentiu que a vitória lhe fugia mal viu Hamilton parar a segunda vez: "Senti-o a vir. Não havia mais nada fazer. Quando ele parou, acabou. Tinha os pneus degradados, fiquei como um alvo fácil", lamentou o holandês.

Verstappen disse ainda que "quando se está na liderança" ninguém quer "parar no meio tráfego". "Com outra paragem, não sei se conseguíamos. Tentei tudo o que podia", frisou, dizendo que a equipa não está "onde queria".

"Neste momento somos um pouco mais lentos", concluiu.

Com estes resultados, Hamilton tem agora 94 pontos na liderança do Mundial de pilotos, contra 80 de Verstappen (que fez a volta mais rápida da corrida e, com isso, somou um ponto extra), enquanto Bottas é terceiro, com 48.

No Mundial de construtores, a Mercedes lidera, com 141 pontos, contra 112 da Red Bull e 65 da McLaren.

O Grande Prémio de Espanha teve ainda a particularidade de ver os mesmos três pilotos no pódio pela quarta vez, algo inédito na história da modalidade.

scroll up