Porsche modificado para deslizar na Antártida é único

|AUTOCLUBE

A aventura já começou com este 356 de 1959 e o objetivo é angariar fundos para combater o tráfego humano.

porsche-356-antartida-900

Renee Brinkerhoff tem experiência na participação de ralis. Já correu em seis continentes e agora quer acrescentar o sétimo ao seu palmarés: a Antártida. Desta vez atrás de uma causa humanitária. Combater o tráfego humano no mundo através da angariação de fundos com esta sua aventura que já começou.

Não foi fácil planear a viagem, sabendo de antemão que optar por um Porsche 356 A de 1959 não era a melhor escolha para circular na Antártida. Mas Brinkerhoff não desistiu. Há dois anos contou com a ajuda de Kieron Bradley, engenheiro de design do Grupo Lotus para dar início a uma série de modificações que preparassem o carro para as condições adversas que o esperavam naquele continente gelado.

“Não seria o meu carro preferido”, admitiu Bradley. “Isso traz muitos problemas. Em primeiro lugar, a idade do veículo e o facto de ser apenas de duas rodas motrizes. ” Bradley adianta ainda que considerou várias opções para ajudar o Porsche vintage a fazer a jornada, incluindo pneus gigantescos frequentemente usados por outros automóveis que conquistam terrenos gelados. Mas a geometria do carro e o objetivo de manter a identidade visual do 356, descartaram essa possibilidade. Foi então que Bradley pensou: “Se não podemos rolar, vamos deslizar”.

Nos meses seguintes, Bradley trabalhou no novo design, que girava em torno dos trilhos traseiros e dos esquis dianteiros com uma lâmina central capaz de atravessar o gelo e a neve a temperaturas tão baixas quanto 58 graus negativos e serem facilmente reparáveis. “É muito fácil fazer sugestões no sofá, como usar esquis de fibra de carbono, mas não é tão fácil consertar a fibra de carbono quando se está a 300 milhas de distância da base”, explicou o designer.

As modificações incluíram ainda a instalação de barras protetoras e um sistema de suspensão mais adequado ao piso na neve e gelo, assim como uma gaiola de segurança soldada, uma saída de emergência pela janela traseira e painéis solares duplos que ajudam a fornecer energia auxiliar.

Depois de uma série de testes, o Porsche 356 já está a cumprir a sua viagem que partiu do acampamento base Union Glacier em direção ao Pólo Sul e vice-versa. Da equipa de Brinkerhoff fazem parte Jason De Carteret, um guia polar experiente, um mecânico, a filha de Brinkerhoff e um repórter de imagem. Nesta aventura não vão estebelecer-se recordes de velocidade, antes pelo contrário. O ritmo é lento e constante, com o Porsche 356 modificado a deslizar a quase 50 km/h. Afinal, o objetivo é outro: angariar de fundos para combater o tráfego humano no mundo.

scroll up