Este Ferrari Daytona já vale milhões

|AUTOCLUBE

Considerado agora um dos modelos mais invulgares da Ferrari, este roadster italiano sobe ao patamar dos mais cobiçados pela sua história.

Ferrari-Daytona-Capa

O Ferrari 365 GTS/4 que vai ser vendido pela RM Sotheby's foi propriedade do famoso realizador de Hollywood, Sydney Pollack, e é agora um dos clássicos mais procurados que tiveram origem no "estábulo" de Maranello. Trata-se de um dos únicos 14 exemplares na cor Argento Metallizzato e o este modelo guiado por Pollack, com o chassis número 14779, é também o 31º de apenas 121 exemplares alguma vez construídos com ar condicionado de fábrica e um velocímetro a indicar as "milhas/h".

Este 365 GTS/4 foi apresentado em 1969 no Salão Automóvel Internacional de Frankfurt, uma evolução natural do 365 GTB/4, que ficou famoso pelo sucesso conquistado nas 24 Horas de Daytona de 1967. O visual agressivo e o "nariz de tubarão" foram obra de Pininfarina, designer que também outras "jóias" como o lendário Testarossa. Relativamente ao motor, o modelo utiliza o famoso “Colombo”, um V12 de 4.4 litros. Este foi o primeiro Ferrari a ser equipado com dupla árvora de cames. Ao contrário do seu concorrente Maserati, o 365 GTS/4 apresentava mais de 350 cavalos e atingia os 280 km/h e deixava o Ghibli Spyder na sua traseira.

No exterior, os faróis escamoteáveis não agradaram a totalidade do público na época, mas tornaram as linhas do Daytona inconfundíveis. O novo sistema de escape quádruplo e a sonoridade do motor eram outra das formas de distinguir o modelo, com um "rugido" musculado muito característico.

Vai estar disponível em leilão no dia 27 de janeiro de 2022 na RM Sotheby's. É um 365 GTS/4 Spyder com 64.615 quilómetros que poderá ser vendido por cerca de 2.6 milhões de euros, segundo estimativas daquela leiloeira.

scroll up