Marvão

A melhor vista da Serra de S. Mamede

Marvão, vila com uma localização extraordinária, no ponto mais alto da Serra de S. Mamede, com uma abrangente paisagem. A sua História remonta ao Paleolítico passando, claro, pela ocupação romana, como os vestígios deixados provam.

Para além de outras características, a região é rica em castanheiros, espécie endémica que fornece o fruto muito utilizado e que motiva uma feira de que é o tema principal. Claro que muitos outros produtos da região são postos à disposição dos visitantes.

  • Onde?

    MARVÃO – PORTALEGRE
    Marvão, pela localização, junto à fronteira e em altitude, foi palco de diversas lutas entre portugueses e espanhóis, nomeadamente as guerras da Restauração, Peninsular (Invasões francesas) e, as últimas, entre liberais e absolutistas.
    Marvão foi tomada, ainda durante a ocupação árabe da península pelo mouro Ibn Maruan, que era então senhor de Coimbra e que resolveu ocupar aquele monte rochoso para aí estabelecer um posto defensivo e de controle da vasta região abrangida do topo – estávamos em final do Séc. VIII. Ibn Maruán gostou tanto do sítio que lhe deu o seu nome que, com o decorrer dos tempos evoluiu para Marvão.

  • O quê?

    Marvão, como toda a região, foi ocupada por vários povos que aí foram deixando os seus vestígios.
    Ali foi levantada, no séc. IX, uma fortaleza que, até hoje protege a vila e lhe dá o seu cunho particular. De salientar que, engenhosamente, foi construída uma cisterna para suprir as necessidades de abastecimento de água da população.
    Então, como agora, Marvão domina os montes e vales da Serra de S. Mamede, gozando de uma paisagem deslumbrante, devido à sua localização.




  • Património a descobrir

    MARVÃO
    - Castelo – Mon. Nacional – construído por D. Dinis, com bela Torre de Menagem, a linha de muralhas e as guaritas cobertas por cúpulas, é um imponente complexo defensivo. Foi alterado e ampliado nos Sécs. XVI, XVII e XVIII, com baluartes, muralhas e fortins.
    - Pelourinho – assenta num pedestal de quatro degraus, é constituído pelo fuste octogonal, rematando numa pirâmide, do qual saem quatro braços em pedra e quatro braços em ferro.
    - Convento e Igreja de Nº Srª da Estrela – Séc. XV, a Igreja tem, na fachada, um pórtico de quatro arquivoltas ogivais, sem decoração. Dentro, a nave é coberta por abóbadas com nervuras ogivais e encontramos azulejos historiados do Séc. XVIII. O claustro conserva uma parte com arcarias com ogivas e outra parte com arcarias seiscentistas.
    - Cruzeiro da Estrela – fica no adro da Igreja de Nª Srª da Estrela. É manuelino, com base e capitel decorados e fuste torcido e, no cimo, a cruz com Cristo.

    BEIRÃ
    - Estação Arqueológica romana da Herdade dos Pombais – Vila do Séc. III d.c. com termas e necrópole de inumação.

    ESCUSA – freguesia de S. Salvador de Aramenha
    - Fornos de Cal – são fornos utilizados para transformar os calcários locais na cal utilizada para a construção. Estes fornos milenares deixaram de funcionar há cerca de vinte anos, com o advento da cal hidráulica e, posteriormente das tintas plásticas. Hoje, são lugar de visita obrigatória.

    PORTAGEM – freguesia de S. Salvador de Aramenha
    - Torre e Ponte romana de Portagem -   freguesia de  S. Salvador de Aramenha. A Torre e a Ponte ficam junto ao rio Sever, por onde entraram, no Séc. XV milhares de judeus fugidos de Castela. Esta Torre e Ponte Romana são parte das ruínas da cidade de Ammaia
     - ruínas romanas da cidade de Ammaia –  junto à EN359, a caminho de Portalegre – nos anos 90 iniciaram-se as escavações arqueológicas, que colocaram a descoberto cedrca de 3000 m2. Pensa-se que, nos Sécs. V e IX esta cidade terá sido soterrada por um cataclismo que terá soterrado a parte mais baixa da o que motivou sua conservação como era, não sofrendo as alterações que outras áreas sofreram ao longo da História. Lá se vê o “podium” de um templo do Séc. I, as Termas públicas e as casas. Existe, próximo, o Museu Monográfico da cidade de Ammaia, para que possa ser mostrada a vida quotidiana do povo que aqui viveu, bem como outros objectos encontrados e inventariados, entre os quais vidros romanos, uma das colecções mais importantes da Península Ibérica.
    Todo o terreno onde a cidade está pertence, neste momento à Fundação Cidade de Ammaia cujo objectivo é o estudo, recuperação e preservação do Monumento Nacional que é a Cidade de Ammaia.

    SÃO SALVADOR DE ARAMENHA
    - Igreja do Salvador do Mundo – Séc. XIII, com porta lateral em ogiva gótica bem talhada e, no interior, azulejos do Séc. XVII.

    SERRA DE S. MAMEDE
    - Choças – são construções, na maioria circulares (semelhantes às dos castros), pedra sobre pedra e telhado de colmo que normalmente são utilizadas para guardar alfaias agrícolas ou colheitas e que se encontram disseminadas por toda a Serra de S. Mamede.
    - Chafurdão ou furdão – são construções semelhantes às choças, com telhado de telha, mais resistentes. Também se encontram por toda a Serra de S. Mamede, em especial junto à linha de fronteira.

  • Feiras, Festas e Romarias

    Festa do Castanheiro – Festa da Castanha – na 1ª quinzena de Novembro – Marvão

    Esta feira, organizada pelo Município de Marvão, pretende homenagear uma espécie endémica da Região, o Castanheiro e o seu fruto, a Castanha e o uso que dela podemos fazer na gastronomia, doçaria inclusive, e no artesanato regional.
    O certame é também uma mostra de produtos locais – hortícolas, frutas, enchidos, queijos, licores, compotas e doces caseiros, com locais de venda e restaurantes. Para além disso, existem, espalhados pela Vila, em pontos estratégicos, quatro “magustos” com excelente castanha assada e vinho da região. Acresce ainda, animação de rua, espetáculos de palco e bailes populares.
    NOTA: os “magustos” abrem à 10h00  e fecham às 18h30, em ambos os dias do certame.

    Gastronomia
    A gastronomia é variada, sempre na linha da apetitosa comida alentejana, apaladada pelas ervas usuais, e dos bons doces tradicionais que, não beneficiando dos sabores emprestados pelas referidas ervas, são sempre uma delícia. Damos alguns exemplos:


    - Borrego e Cabrito – costeletas de borrego com ervas aromáticas, ensopado de borrego, borrego no forno, chanfana de cabrito, cachafrito de cabrito.
    - Outras – Bacalhau salteado com cebola, azeite e alho, sopa de tomate com ovos escalfados, alhada de cação, migas de batata com carne de porco frita, febras do alguidar com batatas à antiga, petingas fritas com arroz de tomate e,
    - sobremesas – arroz doce, salada de frutas com nozes azeite e mel, migas doces com miolo de castanhas e canela…
    Deve ser de comer e chorar por mais!!!

  • Acessos e Distâncias
    LISBOA 234 km PORTO 303 km
    Aveiro 243 km Beja 202 km
    Braga 354 km Bragança 381 km
    Castelo Branco 99 km Coimbra 192 km
    Évora 122 km Faro 346 km
    Guarda 192 km Leiria 173 km
    Portalegre 22 km Santarém 167 km
    Setúbal 212 km Viana do Castelo 377 km
    Vila Real 370 km Viseu 264 Km 

     

  • Itinerários Possíveis

    Itinerário 1
    Visitar os valores do património existentes em Marvão, aproveitar para apreciar o sossego e, com sorte, ver as águias, de cima… do muro que contorna a Vila.
    Com um pouco de tempo, pode ainda aproveitar para visitar os locais indicados neste itinerário – Abegoa, Stº António das Areias, Relva de Asseiceira e Ponte Velha
    Total de km -  22, 5 km.
    Tempo de percurso – 32 minutos, só considerado o tempo de condução.
    Estradas – o trajecto é feito por estradas Nacionais e Municipais.


    Itinerario1

    Itinerário 2
    Visitar os valores do património existentes em Marvão, se tiver ficado ainda algo para ver e ainda o de Beirã, Bica, Escusa, Paragem.
    Não esquecer também a parte lúdico-gastronómica, com os “magustos” e os pontos de venda das coisas boas da terra, para além das castanhas.
    Total de km -  35, 3 km
    Tempo de percurso – 44 minutos, só considerado o tempo de condução.
    Estradas – o trajecto é feito pelo IC13 e por Estradas Nacionais e Municipais.

    Itinerario2

    Itinerário 3
    Visitar os valores do património
    existente em Paragem, S. Salvador de Aramenha, Porto da Espada, Galegos e ainda visitar a Barragem da Apartadura.Total de km -  30, 2 km
    Tempo de percurso – 39 minutos, só considerado o tempo de condução.
    Estradas – o trajecto é feito pelo IC13 e por Estradas Nacionais e Municipais.

    Itinerario3

  • Parceiros ACP

    PARCEIROS ACP
    Abaixo estão os links para todos os parceiros existentes no Distrito de Portalegre, a que Marvão pertence, e que oferecem descontos aos sócios, mediante a apresentação do cartão de sócio.

    Hotéis
     - Solares
    Turismo Rural

scroll up