E-Tech é palavra chave para a Renault nas tecnologias híbridas

|AUTOCLUBE

Nova caixa de velocidades fabricada em Cacia dá alma à gama híbrida da Renault, assente nos modelos de maior volume.

E-Tech-abertura-840

Os consumos são surpreendentes ao conduzir um dos modelos híbridos plug-in da Renault. Ao volante do Captur ou do Mégane, não é difícil alcançar uma média inferior aos 2,0 litros, sem que seja necessário fazer por isso. Já ao volante do Clio híbrido, não recarregável, é fácil rolar abaixo dos 5,0 litros. Para a Renault, a tecnologia E-Tech, em especial a híbrida plug-in, é a melhor resposta aos diesel, que dominaram o mercado durante décadas.

Depois do sucesso alcançado nos veículos elétricos, com destaque para o Zoe, a entrada da Renault nos híbridos faz-se com base numa tecnologia revolucionária e através de uma inovação astuciosa. São três os modelos que compõem a nova gama E-Tech híbrida e híbrida recarregável da Renault: Clio Hybrid (híbrido de 140 cv), novo Captur Plug-in Hybrid (híbrido recarregável de 160 cv) e o novo Mégane Plug-in Hybrid (híbrido recarregável de 160 cv). A nova gama E-Tech adapta-se a todas as utilizações, em função da tecnologia escolhida, reduzindo as emissões de CO2 e os consumos de combustível, mesmo nos trajetos mais longos.

Integrar esta nova tecnologia nos novos modelos foi fácil, graças às novas plataformas modulares, que foram concebidas para alojar sistemas eletrificados, mas também pelas características da tecnologia E-Tech, que pode ser alojada no compartimento do motor de um automóvel compacto como o Clio. Os engenheiros da Renault desenvolveram uma solução híbrida inovadora, com mais de 150 patentes, original e exclusiva, baseada numa arquitetura híbrida “serie-paralela”, para garantir o mais alargado leque de combinações e as mais baixas emissões de CO2.

Os modelos híbridos de produção partilham e beneficiam de tecnologias originalmente desenvolvidas para a Fórmula 1. O desporto automóvel e o envolvimento da Renault na F1, são o coração do trabalho da marca nos motores híbridos E-Tech. As pontes entre o mundo da competição e os automóveis de série dividem-se em duas categorias: gestão de energia e sua regeneração, e o uso da caixa de velocidades multimodo de ‘carretos direitos’, usada, pela primeira vez, num automóvel de série e produzida na fábrica portuguesa de Cacia.

A Renault escolheu os seus três modelos campeões de vendas para introduzir a nova tecnologia híbrida E-Tech. Em relação ao Renault Mégane, a configuração escolhida é a carrinha Sport Tourer, que com esta fórmula híbrida consegue uma dinâmica assinalável e consumos fantásticos. No que toca a carregamentos, tudo se passa em três ou cinco horas, conforme se opte por carga rápida ou doméstica. Quanto a preços dos novos E-Tech, o Clio híbrido está disponível a partir de 23.200€, o Captur plug-in arranca nos 33.590€, enquanto o Mégane Sport Tourer plug-in começa nos 36.350€. A Renault pretende atingir a liderança do mercado híbrido e híbrido plug-in em Portugal, com estes três novos modelos agora lançados nas instalações da marca em Loures, que é também o primeiro e único centro de reparação de baterias de automóveis elétricos existente no nosso país.

scroll up