Todo-terreno cresce para sete provas em 2020

|AUTOCLUBE

Campeonato de Portugal de Todo-terreno recebe duas novas provas em 2020, uma delas a Baja TT ACP Santiago do Cacém / Grândola.

barbosa-19C2732

Há alguns anos que os pilotos de TT pediam o aumento do número de provas no Campeonato de Portugal de Todo-terreno AM|48 e a verdade é que a FPAK e o promotor do Campeonato, a Movielight, chegaram a bom porto e conseguiram o tão desejado crescimento.

Agora com um total de sete provas, das quais os pilotos elegem seis em que pontuam e deitam depois fora o pior resultado, o Campeonato apresenta-se não só maior, mas melhor.

“Penso que temos todas as condições para ter um dos melhores campeonatos dos últimos anos, cinco provas para um campeonato como o CPTT era manifestamente pouco. Sete parece-nos muito mais ajustado, mais a Taça Ibérica, das quais já definimos as notas datas, só falta a federação espanhola. Creio que temos, à partida, todas as condições para termos um excelente ano de Todo-terreno em Portugal depois de um ano de retorno recorde no automobilismo nacional,” referiu Ni Amorim, Presidente da FPAK.

A época começa assim com duas grandes novidades a abrir. A Baja TT Vindimas do Alentejo, a disputar de 7 a 9 de fevereiro na região de Beja, marca o início de uma época que se espera muito competitiva.

Segue-se a Baja TT ACP Santiago do Cacém / Grândola. A mais recente aposta desportiva do Automóvel Club de Portugal tem lugar de 6 a 8 de março e vai trazer ao Campeonato algo de ímpar e fazer com que os pilotos tenham, verdadeiramente, um ano de competição em todos os tipos de terrenos... A areia vai estar presente em cerca de 50% do percurso delineado entre Santiago do Cacém e Grândola.

Também com duas provas, a Escuderia Castelo Branco leva a cabo a terceira jornada da época no último fim-de-semana de março, a Baja TT do Pinhal, e pouco depois, na Páscoa, de 9 a 11 de abril, a ronda algarvia com a Baja de Loulé. Maio, de 8 a 10, será palco da Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal.

Segue-se um interregno de cerca de quatro meses, devido ao elevado risco de incêndio, com o regresso da competição a fazer-se com a Baja TT Idanha-a-Nova, de 11 a 13 de setembro.

O ano termina, como não podia deixar de ser, com a Baja Portalegre 500, prova do ACP também pontuável para a Taça do Mundo FIA de Bajas e que este ano volta a fazer parte do calendário de Bajas da FIM, além de estar ainda incluída no calendário da FMP.

scroll up