Os carros da nova geração chegam ao WRC já na próxima época

|AUTOCLUBE

A tecnologia híbrida vai chegar ao WRC já em 2022. Os Rally 1 vão tornar o desporto automóvel mais sustentável.

Hybrid-WRC

Hyundai, Toyota e M-Sport Ford, as três marcas atualmente envolvidas no WRC, assumiram o compromisso de contribuir durante três anos (2022 a 2024) para a energia sustentável, um dos objetivos da FIA para o futuro. Os três construtores assumem participar no mundial de ralis com automóveis de tecnologia híbrida, conciliando a atual motorização a combustão com uma unidade elétrica, o que permite adicionar maior potência, mas também maior peso ao conjunto.

A estreita colaboração entre a FIA, Promotor do WRC e construtores envolvidos, originou a alteração dos regulamentos técnicos, que receberam autorização do Conselho Mundial do Desporto Automóvel, com as temporadas de 2022 a 2024 a tornarem-se um marco importante para os destinos do Campeonato do Mundo de Ralis, alinhando esta importante vertente do desporto automóvel com a tecnologia híbrida abraçada por toda a indústria automóvel.

Jean Todt, Presidente da FIA, afirmou: “O Mundial de Ralis está à beira de atingir um marco importante com os automóveis da nova geração, os Rally1, que chegam em 2022. A mudança para a potência híbrida reflete as últimas tendências da indústria automóvel, ao mesmo tempo que torna o desporto mais sustentável. Isto foi possível graças aos esforços conjuntos dos Fabricantes e da FIA. O facto de todas as três marcas atualmente envolvidas no campeonato, se terem empenhado durante mais três anos, prova que o Mundial de Ralis está a caminhar na direção certa. Obrigado a todos os que contribuíram para este feito. E isto surge com a transição para a energia sustentável, que é um dos principais objetivos da FIA e do seu movimento “

Nesta iniciativa conjunta, as equipas da FIA e do WRC vão empenhar-se no desenvolvimento da tecnologia híbrida que será incorporada nos automóveis da nova geração. Além disso, a FIA introduz um modelo inovador de parceria baseado num ciclo de três anos, ao contrário do atual compromisso anual, que visa oferecer melhor estabilidade e oportunidades de planeamento, bem como um novo ativo comercial para todas as partes: “Embora assegurando o compromisso dos três fabricantes atuais até 2024, a FIA reafirma a sua determinação em desenvolver nova estabilidade e soluções rentáveis em tempos difíceis do ponto de vista comercial”, lê-se no comunicado da federação.

scroll up