Lamborghini Urraco faz 50 anos

|AUTOCLUBE

Com soluções técnicas muito inovadoras, o Urraco foi desenhado por Marcello Gandini, grande nome da Carrozzeria Bertone.

Lamborghini-Urraco-840

Revelado no Salão Automóvel de Turim no final de outubro de 1970, o Lamborghini Urraco faz 50 anos. Este modelo destacou-se desde logo pelas suas soluções técnicas inovadoras para a época, graças ao contributo prestado pelo engenheiro Paolo Stanzani, o “pai” do Urraco no plano técnico, e então diretor técnico da Lamborghini. A vertente estilística foi confiada ao designer Marcello Gandini, então o principal desenhador da Carrozzeria Bertone.

O Urraco é um veloz coupé 2+2, com motor V8 montado em posição central traseira e suspensões independentes, com estruturas MacPherson tanto na frente como atrás, no que constituiu uma estreia para um automóvel de produção.

Inicialmente apresentado com o V8 de 2,5 litros, capaz de debitar 220 cv às 7800 rpm, e de permitir alcançar uma velocidade máxima de 245 km/h, o Urraco exibia a dupla novidade de um motor de 8 cilindros com distribuição por um único veio de excêntricos à cabeça por bancada.

O refinamento técnico era completado pela utilização de uma cabeça de cilindros com câmara do tipo Heron, com secção interior plana e a câmara de combustão inserida numa depressão na parte superior do pistão. Esta combinação tornava possível a utilização de uma taxa de compressão mais elevada sem aumentar os custos. Outra novidade para a Lamborghini eram os quatro carburadores Weber de duplo corpo do tipo 40 IDF1.

O sistema de produção do veículo constituia outra inovação, já que este foi concebido, logo desde as etapas iniciais do projeto, para ser bastante menos artesanal do que o de outros modelos da Lamborghini. A criação do Urraco foi atribuída a uma vontade expressa de Ferruccio Lamborghini, que ansiava por expandir a produção da empresa, e por lançar um Lamborghini que fosse acessível a um público mais vasto, ainda que limitado.

Com somente 4,25 metros de comprimento, o interior do Urraco era altamente inovador em termos da configuração do painel frontal, do posicionamento dos instrumentos e do volante côncavo.

Lançado enquanto P250 Urraco, em que o “P” representava a colocação traseira (posteriore) do motor, e 250 a capacidade do motor (2,5 litros), foi produzido de 1970 a 1976. O Urraco foi, então, proposto, no Salão Automóvel de Turim de 1974, na versão P200, com uma cilindrada reduzida (1994 cv, 182 cv), destinada ao mercado italiano, de 1975 a 1977. A versão P300 seguinte (2996 cc, 265 cv), apresentada em 1974, foi produzida de 1975 a 1979. O conceito testado com êxito e trazido para o mercado pelo Urraco levou aos subsequentes modelos de oito cilindros, e aos mais recentes modelos de dez cilindros, como o Gallardo e o atual Huracán.

O P250 Urraco foi produzido entre 1970 e 1976 (520 unidades); o P200 Urraco entre 1974 e 1977 (66 unidades) e o P300 Urraco entre 1975 e 1979 (190 unidades).

scroll up