A lenda do Escorpião nasceu com a vitória de Tazio Nuvolari

|AUTOCLUBE

Foi no rali “Palermo-Monte Pellegrino” em 1950 com Nuvolari ao volante de um Abarth 204A que começou esta história de sucesso.

Tazio-Nuvolari-840

Há 70 anos, o grande campeão Tazio Nuvolari terminava a sua carreira de piloto de competição ao volante de um Abarth 204A (de dois lugares e um impressionante motor de 1100 cm3), o primeiro modelo construído por Carlo Abarth. O piloto iniciou o mítico rali “Palermo-Monte Pellegrino”, terminando em primeiro lugar na classe e em quinto na classificação geral.

A amizade entre Carlo Abarth e Tazio Nuvolari aconteceu pouco depois da II Grande Guerra, quando o piloto – que já contava, no currículo, com 55 vitórias em Grandes Prémios internacionais e nas principais provas em estrada – corria pela Cisitalia, de Piero Dusio, que tinha Carlo Abarth à frente da equipa de competição. Quando Dusio, antes de emigrar para a Argentina, vendeu os seus carros de competição à Abarth, Carlo soube que podia contar com a colaboração de Nuvolari, que assumiu também o papel de promotor dos kits de preparação e das panelas de escape.

Depois desta vitória de Nuvolari, a Abarth conquistou o Campeonato Mundial de Marcas seis vezes consecutivas, entre 1962 e 1967, a que juntou a vitória, em 1972, no Campeonato Europeu de Marcas com Arturo Merzario como piloto, e ainda em quatro Campeonatos Europeus de Turismo (em 1965, 1966, 1967 e 1969).

A história de grandes sucessos da marca do Escorpião prosseguiu nos ralis a partir dos anos 70, com o Fiat 131 Abarth Rally a vencer três Campeonatos Mundiais de Marcas, em 1977, 1978 e 1980, um Campeonato Mundial de Pilotos, em 1980, com o piloto alemão Walter Röhrl, e uma Taça FIA de Pilotos em 1978 com o finlandês Markku Alen. Estas grandes vitórias foram complementadas com o triunfo em sete Campeonatos Europeus de Ralis, entre 1975 e 2011, e com a vitória do Abarth 124 rally em 2018 e 2019 na Taça FIA R-GT.

scroll up