Green NCAP avalia prestações dos híbridos

|AUTOCLUBE

A entidade europeia responsável pela avaliação ecológica dos automóveis avaliou 25 carros, incluindo vários híbridos plug-in.

GreenNCAP-ID3

O Green NCAP levou a cabo um teste de desempenho ambiental a 25 carros novos, incluindo, pela primeira vez, veículos elétricos híbridos plug-in (PHEVs). Os resultados dos três – Kia Niro, Mitsubishi Outlander e Toyota Prius – mostram que nem todos os híbridos plug-in oferecem os mesmos benefícios ambientais. Já o Hyundai NEXO – com célula de combustível de hidrogénio – demonstra a promessa desta tecnologia ainda em desenvolvimento. Entre os carros testados incluem-se ainda o VW ID.3, totalmente elétrico, e 19 carros com motor de combustão, dos quais dois – Škoda Octavia Combi 2.0 TDI e VW Golf 1.5 TSI – se destacam dos demais.

Quando se trata de qualidade ambiental, os veículos elétricos puros superam a concorrência e, com o crescente interesse do consumidor, os construtores tradicionais estão cada vez mais a levar a sério os veículos elétricos. O primeiro carro elétrico autónomo da Volkswagen, o ID.3, reforça essa mensagem, juntando-se aos BEVs previamente testados pela Green NCAP com uma classificação máxima de 5 estrelas. O Hyundai NEXO, um carro com célula de combustível a hidrogénio, também alcançou 5 estrelas, mostrando-se tão limpo como elétrico a bateria e quase tão eficiente em termos energéticos.

Ao recorrer a uma célula de combustível para converter hidrogénio em eletricidade, o NEXO emite apenas água no tubo de escape e apresenta uma autonomia incomparável a qualquer veículo elétrico disponível atualmente no mercado. Um ponto positivo ao qual se junta um reabastecimento tão fácil como o de um vulgar carro com motor de combustão interna. Um resultado que mostra claramente o enorme potencial da tecnologia. Contudo, a opção pelos veículos com célula de combustível só se tornará uma verdadeira opção para os consumidores em geral a partir do momento em que existirem postos de abastecimento de hidrogénio suficientes.

Enquanto isso, a tecnologia PHEV tem-se mostrado uma opção muito apreciada pelos fabricantes que procuram reduzir a pegada de carbono e, com isso, ir ao encontro das legislações de emissões em vigor. Contudo, e apesar de ser comercializada como "o melhor dos dois mundos" – mobilidade alimentada a bateria e, quando necessário, com a autonomia de um carro com motor de combustão – os testes do Green NCAP revelaram que, mesmo quando carregados de forma ideal, nem todos os PHEVs são iguais.

Prius da Toyota impressiona mais com uma classificação de 4 estrelas, superando todos os outros tipos de ofertas ecológicas, exceção feita às versões puramente elétricas ou a hidrogénio. Logo atrás, com 3,5 estrelas, surge Kia Niro, mas o Mitsubishi Outlander alcançou apenas 2 estrelas, menos do que alguns dos mais recentes carros a gasolina ou diesel em conformidade com o Euro 6.

As pessoas querem informações independentes e transparentes sobre o impacto ambiental dos automóveis. Estes resultados dos PHEV mostram por que motivo isso é tão importante,” começa por adiantar Niels Jacobsen, presidente do Euro NCAP. “Os consumidores podem ser perdoados por pensar que, ao comprar um carro com a etiqueta ‘PHEV’ e mantê-lo carregado o tempo todo, estão a fazer a sua parte pelo meio ambiente, mas estes resultados mostram que esse não é necessariamente o caso. O Outlander mostra que é improvável que um veículo grande e pesado com uma autonomia limitada ofereça qualquer benefício em relação a um carro convencional. Por outro lado, a Toyota, com sua longa experiência em tecnologia híbrida, fez um trabalho excelente e o Prius, usado corretamente, pode oferecer transporte limpo e eficiente. Depende da estratégia de implementação e hibridização, mas o que é verdade para todos os PHEVs é que eles precisam ser carregados regularmente e alimentados tanto quanto possível com a energia da bateria se quiserem cumprir seu potencial.”

Toyota Yaris Hybrid reforça ainda mais a experiência da Toyota no campo da eletrificação com uma classificação respeitável de 3 estrelas e meia. Mas é igualado por dois carros com motor convencional, o Škoda Octavia Combi 2.0 TDI a diesel e o VW Golf 1.5 TSI a gasolina. Estes são os melhores resultados alcançados até agora com os carros não eletrificados.

“A legislação Euro 6 fez uma grande diferença. Estamos, pela primeira vez, a avaliar os carros em condições de utilização real e a apresentarem resultados em conformidade com que anunciam após os testes feitos em bancos de ensaios, pelo que os construtores e engenheiros automóvel estão de parabéns pelos enormes avanços conseguidos nos últimos anos. O futuro parece pertencer a carros elétricos de um tipo ou de outro, mas, por enquanto, os consumidores enfrentam uma escolha desconcertante. Green NCAP está aqui para ajudá-los a tomar decisões informadas para que todos possamos contribuir agora para um futuro mais limpo e sustentável,” remata Niels Jacobsen.

scroll up