Alemanha duplica subsídios a elétricos

|AUTOCLUBE

Anúncio surgiu precisamente no mesmo dia em que Angela Merkel inaugurou a produção do ID.3, o primeiro de uma gama elétrica concebida de raíz pela VW. 

first-id

A Alemanha planeia aumentar fortemente os subsídios disponíveis para os compradores de carros elétricos nos próximos cinco anos, com efeitos a partir de 2020, de acordo com um documento oficial do governo alemão, noticiou a Reuters. A medida faz parte de um pacote que visa incrementar o uso de veículos de baixas emissões.

Segundo o documento, que foi discutido entre o governo e os principais fabricantes nacionais, para carros elétricos abaixo de um preço líquido de 40 mil euros, o subsídio aumenta de 4 mil para 6 mil euros. Para híbridos plug-in nessa classe de preço, os proprietários vão receber 4.500 euros em vez dos atuais 3 mil euros. Para carros com um preço líquido acima de 40 mil euros, o subsídio para carros elétricos vai ser de 5 mil euros e para híbridos plug-in de 4 mil euros.

O objetivo do governo, revelou a agência noticiosa, é ter 10 milhões de veículos elétricos a circular nas ruas até 2030 e também reforçar a ofensiva para alterar o "status" da indústria automobilística alemã, que surge algo atrasado em termos de mobilidade elétrica.

Esta revelação surgiu precisamente no mesmo dia em que a chanceler Angela Merkel foi inaugurar a produção do Volkswagen ID.3 na fábrica em Zwickau, no estado da Saxónia, naquele que é o primeiro modelo totalmente elétrico e que deverá custar cerca de 39 mil euros em Portugal. O ID.3, que é o "irmão" com baterias do Golf,  é o primeiro de 70 automóveis elétricos do gigante alemão que visam converter totalmente a gama nos próximos anos, num investimento de cerca de 30 mil milhões de euros até 2023.

scroll up