10 desportivos sem parabrisas

|AUTOCLUBE

A moda está a pegar mas é perigosa porque compromete a segurança dos ocupantes.

Ferrari-Monza-SP1-840

O parabrisas é um dos elementos mais importantes num automóvel. Contribui até 30% para a estrutura do veículo, ajuda na resistência do teto e suporta sistemas de segurança ativa. A eficácia dos airbags, por exemplo, dependem do bom estado do parabrisas. Se este não estiver nas melhores condições o airbag do acompanhante do condutor pode expandir-se para fora do carro em caso de colisão, sem resultado efectivo. A presença de parabrisas também protege os ocupantes do veículo em condições climatéricas adversas. Vamos conhecer dez desportivos em que os fabricantes parecem ter esquecido a importância do parabrisas privilegiando, antes, a aerodinâmica dos seus carros. É que estes modelos foram sobretudo produzidos para competir em pista, mas muitos deles também estão homologados para poderem circular na estrada.

Lamborghini SC20

É o mais recente one-off da Casa de Sant’Agata Bolognese e o segundo a sair da divisão especial Squadra Corse. Inspirado no Diablo VT Roadster, Aventador J, Veneno Roadster e Concept S, o SC20 equipa um motor V12 de 6,5 litros com 770 cv de potência.

McLaren Elva

Embora represente o ponto culminante da gama Ultimate Series, é o McLaren mais “ligeiro” construído pela marca britânica. Mas equipa um bloco V8 turbo de 4 litros igual ao do modelo Senna e oferece 815 cv. Para chegar dos 0 aos 100 km/h nem precisa de sete segundos.

Ferrari Monza (SP1 e SP2)

Disponível para apenas um ocupante (versão SP1) ou dois (SP2), o Monza esconde sob o capot um motor V12 de 6,5 litros com 800 cv capaz de chegar aos 300 km/h.

Aston Martin V12 Speedster

São apenas 88 os que têm a sorte de poder guardar um destes Aston Martin na sua garagem. O V12 Speedster rola com um motor V12 com 700 cv de potência e chega dos 0 aos 100 km/h em 3,5 segundos. A sua velocidade máxima é de 300 km/h.

Lotus 3-Eleven 430

É com esta edição limitada a 20 unidades que o Lotus-3 Eleven vai despedir-se. Com um peso de 920 kg, equipa um motor V6 de 436 cv e atinge 290 km/h. Mesmo ao preço de 120 mil euros, todos os exemplares já estão vendidos.

Dallara Stradale

Como o nome indica, este é o primeiro Dallara para estrada. Embora tenha saído de fábrica sem parabrisas é possível montar um em fibra de carbono que custa mais 16.600 euros sobre o preço final.

Ariel Atom

Este desportivo exibe um chassis tubular ao mais puro estilo de estrada e equipa um motor de 2,4 litros da Honda que anuncia 365 cv de potência. Com prestações ao nível de um Porsche 911 Turbo, acelere dos 0 aos 100 km/h em apenas 2,8 segundos.

Caterham Seven 620R

É sem dúvida o modelo mais purista de todos os que integram esta lista. O Caterham Seven inspira-se nos Lotus Super Seven dos anos 50. Pesa menos de 520 kg mas tem mais de 300 cv de potência.

KTM X-Bow

Na época do seu lançamento foi uma revolução não só pelas linhas estéticas agressivas como por representar a entrada da conhecida marca de motas KTM no universo das quatro rodas. A versão mais radical – o X-Bow R – conta com o mesmo motor dos Audi S3 e TT-S dos finais de 2000, com 300 cv.

Polaris Slingshot S

Este desportivo de três rodas promete fortes sensações graças aos seus quase 180 cv. É o mais económico da lista com preços que no mercado norte-americano se iniciam no equivalente a 16.400 euros. Também se pode equipar com um parabrisas opcional.

scroll up