Novo Comissário dos Transportes deve bater-se por políticas pragmáticas

Antes de o Parlamento Europeu ouvir Sim Kallas, proposto para Comissário Europeu dos Transportes, o Eurocouncil da FIA (Federação Internacional do Automóvel) pede visão e políticas sustentáveis para o sector dos transportes. A nomeação e audição do novos comissários europeus acontece num momento crucial. A União Europeia está prestes a declarar os grandes desafios para os transportes e mobilidade para os próximos 40 anos, assim como estabelecer o programa político para a próxima década.
“Ao assumir funções, o novo comissário deve perseguir uma atitude holística e sustentável”, afirma Werner Kraus, Chairman do Eurocouncil da FIA. “No caso dos transportes rodoviários deve ter em consideração que eles são o pilar da sociedade moderna. Novas e eficientes medidas para enfrentar os desafios devem ser articuladas e executadas de forma clara e pragmática. Aumentar a carga fiscal nos consumidores não é opção!”.
Uma vez que se prevê que as questões relativas à mobilidade aumentem substancialmente neste século, todos os agentes ligados aos transportes e mobilidade devem estar preparados com soluções realistas e sustentáveis para atacar os desafios de frente.
A segurança rodoviária merece uma atenção particular. A Europa registou um significativo progresso no que respeita à redução do número de mortos. No entanto, a batalha para melhorar ainda mais e fazer ainda melhor deve permanecer firme. Reduzir o número actual de 40 mil mortos por ano na Europa deve ser o maior desafio do mandato do novo comissário dos transportes.
Em nome dos automobilistas europeus, o Eurocouncil da FIA chama a atenção do novo comissário para prosseguir os seguintes objectivos nos transportes: mais segurança, menos poluição, melhor coordenação e articulação, maior conforto, mais segurança e mais eficiência.
“Apoiaremos a Comissão Europeia no desenvolvimento robusto e nas políticas pragmáticas que vão ao encontro das reais necessidades da sociedade”, conclui Werner Kraus.
Eurocouncil da FIA, organização mundial líder dos automobilistas, representa na Europa 71 entidades automóveis nacionais de 47 países, num total de 35 milhões de automobilistas. O ACP, enquanto club pertencente e dirigente do Eurocouncil, assume como grande prioridade a defesa dos interesses dos seus associados e dos automobilistas no centro das políticas europeias de mobilidade, de forma a que esta seja sustentável, fiável e segura para todos.

scroll up