Sims vence segunda jornada da Fórmula E

|AUTOCLUBE

Sims estreia-se a vencer, com Guenther em segundo para garantir a dobradinha da BMW na Arábia Saudita.

fe-sau-03

Tal como na sexta-feira, na primeira corrida da época 2019/20 da Fórmula E, Alex Sims, da BMW i Andretti Motorsport, largou da pole para assumir a liderança da corrida mal as luzes se apagaram.

Atrás dele, Sebastien Buemi (Nissan e.dams) e Lucas di Grassi (Audi Sport Abt Schaeffler) garantiam as segunda e terceira posições, enquanto António Félix da Costa vinha ao ataque com o DS Techeetah.

O português deixou claro que queria um pódio, colando-se a Buemi e acabando mesmo por fazer com que este perde-se o controlo do carro. O piloto da Nissan reatou depois a corrida em 15º, mas o incidente está sob revisão pela FIA.

Com mais de 30 minutos ainda pela frente, Bird sofreu um toque por parte de Mitch Evans (Panasonic Jaguar Racing) na Curva 4, seguindo-se depois novo embate, mas desta feita com o Pascal Wehrlein (Mahindra Racing) na Curva 5. Como resultado, o britânico, que começou o ano a vencer, foi parar à parede e viu-se forçado a abandonar com muitos danos no carro.

Enquanto isso, a FIA decidiu atribuir uma penalização de 10 segundos de passagem pela via de boxes a Félix da Costa pelo incidente que provocou com Buemi, mas o gaulês também foi penalizado da mesma forma por ter regressa à pista de forma considerada insegura.

Com o colega de equipa já fora de prova, Robin Frinjs (Envision) perdeu o controlo do monolugar entre as Curvas 5 e 6 e acabou por bater na parede, de lado, na Curva 7.

Em resultado do incidente, as bandeiras amarelas foram apresentadas até à remoção do carro.

A oito minutos do final, Sims continuava na frente, enquanto atrás no pelotão Evans também era penalizado com uma passagem na via de boxes de 10 segundos pela colisão com Bird.

Enquanto isso, di Grassi perdeu uma posição para aproveitar o Attack Mode, recuperando depois ao passar Stofell Vandoorne (Mercedes). Melhor escolha fez Max Guenther, colega de equipa de Sims, que não fez uso do Attack Mode e acabou por subir ao intermédio do pódio, onde terminou à frente di Grassi.

António Félix da Costa acabou por terminar em 13º, mas ainda logrou somar um ponto por ter registado a volta mais rápida da corrida.

scroll up