Hamilton chega ao GP de Portugal às portas de recorde

|AUTOCLUBE

O britânico prepara-se para bater um novo recorde da F1 naquele que será o regresso da categoria rainha a Portugal.

Hamilton

Campeão do Mundo em título e líder destacado do Campeonato com 230 pontos, mais 71 que o colega de equipa Valtteri Bottas, Lewis Hamilton chega a Portugal para disputar a 12ª jornada desta conturbada época com objetivo claro: dilatar ainda mais a vantagem na classificação e, se possível, superar o total de vitórias de Michael Schumacher.

O britânico da Mercedes igualou as 91 vitórias do germânico no recente Grande Prémio da Alemanha e agora está apostado em quebrar uma marca que, para muitos, nem sequer seria alcançável, quanto mais batida.

Ou seja, 14 anos após o primeiro triunfo na categoria rainha, menos um que Schumacher, e com 35 anos de idade, contra os 37 do alemão, Hamilton está prestes a escrever nova página na história da Fórmula 1 e da sua carreira. Por bater ficou apenas o número de corridas entre o primeiro e o último triunfo, um particular onde a vantagem é de Schumacher, que encaixou apenas de 237 provas entre os dois momentos, enquanto Hamilton leva já 245 corridas feitas desde a primeira vitória.

Mas a verdade é que o centro das atenções neste regresso da F1 a Portugal não recairá apenas sobre o piloto da Mercedes, a começar logo por Bottas. Segundo na geral, com oito pódios, entre eles duas vitórias, o finlandês também terá palavra a dizer, se bem que será pouco provável que se assista a uma surpresa vinda de dentro de portas.

Nessa matéria, o maior rival será Max Verstappen. O holandês e a sua equipa Red Bull são quem mais sombra podem fazer à Mercedes e a Hamilton, não tivesse Verstappen totalizado também oito pódios, entre eles uma vitória. Aliás, não fossem as três desistências que já registou e o cenário no Mundial seria seguramente bem diferente.

Quem também se deve ter em conta é Daniel Ricciardo. Com a Renault a subir de forma nas últimas provas, e o australiano a ter terminado no mais baixo do pódio na Alemanha, podemos ter aqui uma surpresa.

Seja como for, após 24 anos de interregno a Fórmula 1 está de volta a Portugal para mais um Grande Prémio, desta feita com o Autódromo Internacional do Algarve a dar seguimento à história que se começou a escrever no Circuito da Boavista (1951 e 1960), no Circuito de Monsanto (1954) e no Circuito do Estoril (1984 a 1996).

scroll up