Foi mais um Dakar em cheio com vitória merecida de Peterhansel.

|AUTOCLUBE

A opinião de Miguel Barbosa, Campeão de Portugal de Todo Terreno, sobre os duelos muito animados que decorreram na Arábia Saudita.

OpinaDakar

A acompanhar à distância a maior prova de todo terreno do mundo, Miguel Barbosa sublinhou a batalha entre Peterhansel, Al-Attiyah e Sainz, o excelente trabalho da Honda nas motos e a boa prestação dos portugueses presentes.

“Foi um Dakar muito duro, com muita navegação, muita pedra e areia. Como é habitual na Arábia Saudita uma prova longa e difícil. Nos automóveis, os suspeitos do costume assumiram o controlo da prova, com Peterhansel, Nasser Al-Attiyah e Carlos Sainz a confirmarem o favoritismo que lhes foi apontado. O “Mister Dakar” venceu pela 14ª vez, com uma prova impressionante e perfeita em termos de estratégia e andamento. A Mini acabou por vencer, com Nasser Al-Attiyah muito perto, mas a poder queixar-se de 16 furos ao longo da prova, com o tempo que isso implica, para além de ter de rolar mais devagar por falta de pneus. O próprio diretor de prova admite que no futuro poderão ser revistos os regulamentos entre os Buggy e os 4x4 para poder equilibrar. Mas isso não tira mérito a Peterhansel, que alcançou uma vitória muito merecida, sempre com imagens espetaculares. Nas motos, Kevin Kevin Benavides torna-se no primeiro sul-americano a vencer um Dakar, numa batalha constante entre a Honda e a KTM, sempre com navegação muito difícil. A vitória da Honda contou com o trabalho muito positivo do Ruben Faria a liderar a equipa, com ajuda do Hélder Rodrigues e fico muito satisfeito por isso”.

Miguel Barbosa prestou também uma atenção especial à participação dos portugueses.

“Os portugueses estiveram em bom plano, com o 12º lugar do Filipe Palmeiro como navegador do Benediktas Vanagas e também o 20º lugar da dupla Ricardo Porém e Jorge Monteiro. Nas motos é de louvar o 11º lugar do Joaquim Rodrigues num ano muito especial, mas também o 14º lugar do Sebastian Buhler, um bom resultado, duas semanas depois de ter sido operado. Positivo também o 19º lugar do Rui Gonçalves, que seguramente nos dará muitas alegrias no futuro. Nos SSV, uma excelente prova para Lourenço Rosa e Joaquim Dias, que alcançaram o 15º posto, mesmo depois do acidente que tiveram na penúltima etapa. Foi um Dakar cheio de animação e muito duro, nestes Jogos Olímpicos da modalidade”.

scroll up