9 erros a evitar nos congestionamentos de trânsito

Conselhos para conduzir em segurança no “pára-arranca”

Enfrentar o trânsito é algo que deixa muitos condutores com os “nervos em franja”. Sobretudo quando se vive nas grandes cidades, como Lisboa e Porto.

No The 2019 Driving Cities Index, uma análise sobre as cidades mais circuláveis, Lisboa está posicionada na 74.ª posição, numa tabela de 100 lugares.

Com uma média de 0,44 carros per capita, à frente de Turim, (Itália) e Chicago (EUA), a capital portuguesa destaca-se pelo número de carros superior a cidades como Barcelona (0,39), Berlim (0,29) ou Estocolmo (0,24).

E como reflexo, o trânsito resulta muitas vezes, em engarrafamentos.

Lisboa e Porto: o trânsito nas metrópoles portuguesas

Sabia que um habitante de Lisboa que se desloque de carro na hora de ponta matinal passa, em média, 50 minutos no trânsito numa viagem que demoraria 30 minutos? Já ao final do dia, esse tempo sobe para os 52 minutos.

No Porto gastam-se 48 minutos numa viagem matinal que demoraria 30 minutos sem congestionamento e 50 ao final da tarde.

Estas são as conclusões do Tom-Tom Traffic Index 2019, relativas a dados de 2018, que indica ainda os melhores e piores dias para se deslocar de carro nestas duas cidades.

Em Lisboa, a estrada está por sua conta em agosto, mais concretamente no dia 5, ao contrário do dia 31 de outubro, o dia com maior congestionamento diário médio.

No Porto, o dia de Natal tem-se revelado como o de menor congestionamento médio diário, ao contrário do dia 14 de fevereiro, onde se regista o maior congestionamento diário médio.

Em ambas as cidades, o dia da semana em que o trânsito está mais congestionado é a sexta-feira ao final do dia, refere ainda este estudo.

As horas que se passa ao volante nos grandes centros urbanos tiram a paciência a muitos, o que leva a cometer alguns erros. As consequências podem ser uma simples batida, um acidente um pouco mais grave ou o natural desgaste mecânico.

9 erros a evitar nos engarrafamentos

Com trânsito congestionado a paciência é pouca e a pressa de chegar é muita. Já todos sentimos a frustração que é passar por esta situação. Mas tal não justifica cometer erros que podem pôr a segurança em risco.

Quando voltar a ficar parado no trânsito, evite os seguintes erros:

  1. Aproximar-se demasiado do carro da frente
    As aulas de código podem já ter sido há muito tempo, mas é necessário (re)lembrar o que aí se aprendeu.
    De acordo com o Código da Estrada, “o condutor de um veículo em marcha deve manter entre o seu veículo e o que o precede a distância suficiente para evitar acidentes em caso de súbita paragem ou diminuição de velocidade deste, tendo em especial consideração os utilizadores vulneráveis”.

  2. Mudar constantemente de via
    É como a fila do supermercado: temos sempre a perceção que a do lado anda mais depressa. Na realidade, exceto quando existe um acidente ou obras numa determinada via, nas restantes anda-se quase sempre ao mesmo ritmo.
    Mudar de via constantemente e de forma incorreta aumenta a probabilidade de haver um acidente, além de condicionar o trânsito na via para a qual se muda.

  3. Esquecer-se da sinalização
    Ligar o “pisca” sempre que se pretende mudar de direção é essencial, mesmo num engarrafamento. Ao fazê-lo, avisa os outros condutores da sua intenção.

  4. Acelerar e travar de forma brusca
    Ter uma condução brusca, com travagens repentinas, é perigoso para todos, pois não se é constante. Suavize os movimentos.

  5. Circular em ponto morto
    Se costuma pôr o carro em ponto morto de forma a poupar combustível numa descida, em situação de pára-arranca, deixe de o fazer.
    De acordo com alguns fabricantes de carros, esta prática pode causar danos graves no motor, aumentar o consumo e sobrecarregar os travões.

  6. Ter o pé constantemente na embraiagem
    Uma tendência muito vulgar, para que se possa retomar a marcha mais rapidamente. Porém, este gesto desgasta a embraiagem de forma prematura.

  7. Esquecer-se de tirar partido das vantagens dos sistemas de navegação
    São cada vez mais utilizados e podem ser instalados nos smartphones. Além de fáceis de utilizar são úteis porque indicam percursos alternativos menos congestionados. Lembre-se que deve pesquisar sempre o percurso antes de iniciar viagem e não ao circular. Todos estes sistemas são úteis, mas devem ser usados de forma cuidadosa, sem criar distrações durante a condução.

  8. Perder a calma
    É certo que o trânsito congestionado testa o nível de resistência ao stress de qualquer condutor. Mas perder a calma não leva a lado nenhum, pois não vai resolver o engarrafamento. Inspire, expire e mantenha o controlo.

  9. Consultar o telemóvel
    É uma tentação quando se está parado no trânsito, mas deve ser evitada. A utilização do telemóvel ou de outro aparelho, mesmo em filas de engarrafamento distrai e pode levar a um acidente, mesmo a baixa velocidade

 

E se o seu automóvel apresentar sinais de desgaste?

No meio do trânsito congestionado apercebe-se que os travões do seu carro não estão “no ponto”? Ou começa a chover e as escovas limpa-vidros não cumprem o seu dever? Está na hora de fazer uma revisão rápida ao estado do seu veículo.

As oficinas ACP prestam um conjunto de serviços rápidos de manutenção automóvel, sempre com a qualidade e confiança ACP. Mecânicos credenciados cuidam do seu carro com peças originais e selecionadas. Melhor: os sócios ACP beneficiam de 30% de desconto em material.

Se precisar de ajuda ou de efetuar uma verificação ao seu carro, as oficinas de serviços rápidos ACP estão ao seu dispor
Saiba mais

scroll up