Medicina e saúde

Dicas e sugestões para fazer bem

O Golfe é um desporto de lazer ou competição com efeitos benéficos para a saúde, que permite todo o tipo de jogadores e de idades, desde as pessoas jovens e sãs aos seniores e àqueles que sofrem de doenças cardíacas, metabólicas, neurológicas ou do sistema músculo-esquelético.

Em relação à saúde, a perspectiva deste jogo será diferente sabendo que tal como a marcha, a corrida, a natação e a dança, o golfe é hoje considerado um belo exemplo de exercício dinâmico aeróbio, ou seja, o tipo de exercício mais aconselhável.

Cuidados com a alimentação

As recomendações nutricionais genéricas que se tornaram comuns a outros desportos não serão muito diferentes das do golfe, tendo em conta a sua especificidade. A ideia é também fazer uma dieta de alimentos energéticos e outros que podem ajudar na melhoria da força e da "boa forma", conseguindo aumentar os resultados nesta aliciante modalidade e acima de tudo, melhorar a saúde e qualidade de vida.

Saúde e medicina no Golfe

É sobejamente conhecida a importância da alimentação na prática da actividade física. Podemos até afirmar que uma alimentação bem adaptada ajuda a formar um campeão! É fácil percebermos porquê. Através dos alimentos o organismo obtém energia e outros nutrientes essenciais na prática de actividade física. Os músculos e o cérebro necessitam constantemente de glicose para se alimentarem e responderem de forma adequada. Deve obter-se a glicose a partir dos alimentos que se ingerem antes e por vezes também durante a prova. Quando um atleta não ingere uma quantidade suficiente de alimentos fornecedores deste nutriente, o organismo tem que recorrer a um “combustível” alternativo. Poderá obtê-lo a partir das suas reservas mas com um grande desgaste e por vezes comprometendo a performance!

É por esta razão que os praticantes de golfe devem preocupar-se com os alimentos que ingerem antes e durante as provas. Devem fazer uma refeição que os prepara para as 3 horas seguintes: alimentos como o pão, as tostas, os cereais de pequeno-almoço, a fruta em natureza ou em sumos, o iogurte ou para quem gosta até uma sopa são alternativas bem saudáveis. Como habitualmente as provas são muito longas, se não houver oportunidade para fazer uma pausa, é importante que o praticante leve consigo alguns alimentos fáceis de transportar e ricos em energia: Sumos, sandes, fruta, barrinhas de cereais, frutos secos, são alguns exemplos que ajudam o organismo a manter-se em forma e contribuem significativamente para que no final da partida não esteja com uma “fome de lobo” e estrague todos os benefícios da actividade com uma refeição copiosa e excessiva.

A hidratação é obrigatória

Outro aspecto fundamental inerente à prática de Golfe é manter uma boa hidratação. Para o fazer deve beber-se água, até sem sentir necessidade. É necessária muita água para arrefecer o organismo e produzir suor. Devemos repô-la na mesma proporção. Bebidas alcoólicas e refrigerantes não devem ser consumidos durante a prática de actividade física pois aumentam as perdas de água. Não esqueça que um atleta bem alimentado tem durante a prova, um desempenho muito melhor do que outro que não comeu o suficiente ou que o fez de forma desequilibrada.

Não esquecer o aquecimento antes de praticar

O aquecimento é fundamental na prática do Golfe, principalmente se for para o tee de saída e não realizar alguns exercícios de aquecimento poderá ser bastante perigoso. O swing de golfe é um movimento muito rápido e explosivo, se os músculos não estiverem aquecidos pode contrair uma lesão muscular.