Sabe qual a posição de condução mais correta?

Mais conforto e segurança sempre que está ao volante

Porque todos temos características físicas diferentes, sempre que conduzimos um carro em que anteriormente esteve sentado outro condutor, devemos adaptar a posição de condução ao nosso gosto (e altura). É uma das primeiras coisas ensinada quando entramos pela primeira vez no carro da escola de condução. Assento à medida, espelhos retrovisores ajustados, cinto posto…
Vamos arrancar para saber qual a posição de condução mais correta?

Vantagens: da segurança à saúde

Se é normal que um recém-encartado siga à risca o Código da Estrada e os conselhos dados pelos formadores, também é verdade que à medida que se ganha experiência ao volante, adquirem-se hábitos que nem sempre são os mais corretos. Muitos deles relacionados com a posição de condução. Adotar uma correta postura ao volante permite ter maior controlo sobre o veículo, o que oferece uma maior segurança na condução e possibilita ao condutor sentir-se mais alerta e intervir mais rapidamente em caso de perigo. Mas a saúde também pode ficar a ganhar. Uma posição de condução incorreta provoca fadiga muscular que, a médio e longo prazo, pode causar problemas na coluna. A circulação nas pernas também pode ficar afetada, caso o assento não esteja ajustado à altura. É que fazer uma viagem longa com nervos e veias pressionados pode ter um desfecho doloroso.

A posição de condução correta

Não lhe podemos indicar o ângulo exato a que todos os objetos do carro devem estar. Porque na realidade, não existe uma posição certa para conduzir. Tudo depende das características de cada um. Tome nota do que deve ajustar, de forma adequada, à sua medida:

Assento

Não coloque o assento muito alto. Assim, evita a pressão na parte de trás dos joelhos. O ideal é haver, pelo menos, três dedos de distância, para que nervos e veias não estejam pressionados, pondo em causa a circulação sanguínea e os calcanhares devem ficar apoiados no chão. As pernas também não devem estar completamente esticadas. De acordo com o Instituto da Mobilidade dos Transportes (IMT), "devem estar ligeiramente fletidas, de forma a que os pedais possam ser usados até ao fim do seu curso, sem que o condutor as tenha de esticar completamente".

Encosto

A coluna deve estar firmemente encaixada no banco com as omoplatas bem apoiadas. O ideal é fazer um ângulo entre 100° a 120°. Evite conduzir com as costas demasiado deitadas, pois vai cansar-se mais rapidamente e poderá ter dificuldade em acompanhar o estado do trânsito à sua volta. Além disso, conduzir com o banco demasiado inclinado deixa os músculos mais tensos e a probabilidade de deslizar sob o cinto numa colisão é maior.

Quanto ao encosto da cabeça, levante-o até que a linha dos olhos fique na metade do encosto. Este tem um papel preponderante no sistema de segurança em caso de colisão, sendo fundamental para prevenir o efeito chicote, ajudando a evitar lesões. A cabeça deve ficar na vertical, apoiada acima da nuca.

Volante

Se segura o volante apenas com uma mão, tente esquecer esse mau hábito. Ambas as mãos devem estar apoiadas no volante, como se fossem ponteiros de relógio nas 9h15m, aconselha o IMT. Desta forma, consegue ter amplitude para movimentar o volante de forma rápida e segura, caso necessite. Em curvas mais apertadas, utilize a técnica “puxa-empurra”: à entrada da curva, suba a mão do lado para o qual vai curvar até ao topo do volante, puxando-o até à posição mediana (3h ou 9h, dependendo do lado para onde vai virar). No final da curva, faça a manobra inversa de retorno à posição central. Quanto aos polegares, o intuito não é agarrarem o volante. Ao fazê-lo, a coluna de direção vai transmitir vibrações produzidas pelo piso, podendo provocar uma entorse ou outra lesão mais grave em caso de uma colisão forte. A posição correta destes dedos passa por permanecerem apoiados em cima do círculo do volante.

Para saber se está a uma boa distância do volante, lembre-se da dica básica que, regra geral, é ensinada ao tirar a carta: quando está sentado, se esticar os braços para o topo do volante e os pulsos assentarem nele, está numa boa posição de condução.

Espelhos retrovisores

Comecemos pelo retrovisor interior: o objetivo é conseguir visualizar todo o ambiente atrás do seu carro. Quanto aos retrovisores exteriores, é suposto que consiga ver a linha do horizonte no centro do espelho, e o mínimo possível da carroçaria do carro (a forma de evitar ao máximo os ângulos mortos).

Cinto de segurança

Comece por puxar a faixa de cima para o meio do ombro, de forma a não magoar o pescoço. Já a faixa inferior, não deve ficar folgada sob o abdómen, mas também não deve ficar apertada. Justo é a medida certa. E não se esqueça: todos os viajantes devem ter o cinto de segurança colocado.

 

Viagens totalmente seguras

Agora que já conhece a posição de condução correta, falta conhecer o seguro automóvel que lhe dá o máximo de proteção. Mas qual escolher? Um seguro muito barato ou com demasiados extras? Há alternativa: o Seguro Automóvel ACP, com preço único de 10,99€ por mês. Um seguro contra terceiros, assistências ilimitadas, 5 dias de veículo de substituição e preço igual para qualquer cilindrada. Agora sim, está pronto para seguir viagem em segurança.

SAIBA MAIS

scroll up