Um ano de novidades do Euro NCAP

|AUTOCLUBE

Um olhar pela forma como o Euro NCAP abordou um ano marcado pela pandemia e que obrigou a uma paragem nos testes.

EuroNCAP

A disseminação do Coronavírus levou a significativa quebra nas vendas de novos automóveis de passageiros e ao cancelamento, ou adiamento, do lançamento de vários novos modelos.

Uma situação que coincidiu com a adoção de novos testes por parte do Euro NCAP criados com o objetivo de responder às necessidades de proteção dos ocupantes, melhorias na proteção pós-impacto e promover as mais avanças tecnologias de ajudas à condução.

Uma das principais mudanças foi a adoção de uma nova barreira móvel para os ensaios de colisões frontais com vista a avaliar a proteção dos ocupantes. Os requisitos de proteção em situações de embates laterais foi fortalecida com o aumento da massa da barreira utilizada nos testes e também com a introdução de um novo teste de impacto lateral do lado oposto, focando-se na proteção do condutor e na potencial interação entre este e o passageiro frontal.

Foram ainda introduzidos novos e desafiantes cenários para avaliar a tecnologia desenhada para evitar colisões com outros veículos e com os utilizadores mais vulneráveis da via pública, nomeadamente em cruzamentos.

A juntar a isto, foram dados os primeiros passos para premiar sistemas de Monotorização do Estado do Condutor que detetam a fadiga e distração de quem vai ao volante.

Finalmente, foram implementadas novas regras de avaliação para promover melhor segurança pós-acidente, ao que se juntou também o lançamento da aplicação Euro Rescue para as unidades de intervenção primária.

A remodelação do sistema de avaliação, com significativas alterações introduzidas aos testes em várias áreas em simultâneo, representou um desafio significativo para indústria.

Ainda assim, os modelos mais recentes apresentaram muito bons resultados face aos critérios de 2020.

No total, apenas 11 novos modelos foram testados no ano passado, uma drástica redução em comparação com os 55 carros testados em 2019.

Nove automóveis receberam a pontuação máxima de 5 estrelas (82%), um receber 4 estrelas (9%) e outro recebeu 3 (9%). Não houve carros com uma avaliação abaixo das 3 estrelas.

Estes resultados positivos foram conseguidos, em parte, graças à rápida adoção de tecnologias de segurança pioneiras, como os airbags centrais para proteção do lado oposto, tecnologia de assistência à atenção e funções avançadas de AEB para prevenir acidentes com outros carros, peões e ciclistas.

Além da publicação dos resultados dos testes, o Euro NCAP lançou um sistema de avaliação único para promover a adoção segura de tecnologias de condução assistida por parte dos consumidores e examinou o mais avançados sistema de ajudas à condução disponíveis para carrinhas comerciais com o intuito de ajudar no processo de decisão aquando da aquisição de frotas.

Estas iniciativas ilustram a expansão da área de ação do Euro NCAP e sua crescente influência nos avanços futuros da indústria e do quadro regulatório através da melhoria continuada da segurança dos veículos.

scroll up