O primeiro carro de João Ricardo Pateiro

|AUTOCLUBE

 

ACP-Classicos-Primeiro-Carro-Joao-Ricardo-Pateiro-detalhe

"Com o ACP nunca caminharás sózinho.”

João Ricardo Pateiro (sócio do ACP nº 105164) é famoso pelas canções com que anima os relatos de futebol. E como este jornalista da TSF gosta de adaptar letras de músicas escolheu a da Abelha Maia para o Rally de Portugal

Qual foi o seu primeiro carro?

Foi um Citroën AX 1.1 TRE, de 1992. Ainda hoje tenho carinho pela marca.

Um episódio que o tenha marcado com esse carro.

No regresso de uma viagem que fiz, num só dia a Espanha, apanhei mais de 40 graus em Sevilha. Foi duro, porque não tinha ar condicionado mas tirando isso foi um carro nunca me deu problemas. Tive-o durante quatro anos.

Também gosta de automóveis clássicos e tem alguns.

Sim, tenho um MG Midget MK3, de 1970, um Morris Minor descapotável, de 1966, duas Renault 4 GTL, de 1988, uma delas transformada tipo mini moke, muito divertida de conduzir, e um Volvo 244 DL, de 1974.

E tem algum clássico de sonho?

Gostava muito de ter um Citroën “boca de sapo”. É conhecido pelas músicas com que anima os relatos de futebol.

Como é que surgiu essa ideia?

Primeiro porque gosto de cantar e adaptar letras de músicas a pessoas. Depois porque achava os relatos de futebol demasiado cinzentos e antiquados, queria dar-lhes cor, queria que despertassem mais a atenção dos ouvintes. Foi uma pedrada no charco que resultou bem.

Como apaixonado pelos desportos motorizados costuma acompanhar o rali?

Já o acompanhei muitas vezes no terreno. Agora menos por falta de disponibilidade, mas sigo-o sempre pela televisão, pelos jornais e pela rádio.

Se tivesse que relatar o Rally de Portugal que canção lhe dedicava?

Inspirava-me no salto de Fafe e adaptava a música da Abelha Maia com uma letra mais ou menos assim: Lá num país cheio de sol/Nasceu um dia um rali/ Bem conhecido pelos saltos, pela poeira e pelo asfalto/Todos lhe chamam o melhor rali do mundo...

Se o ACP o desafiasse para fazer uma sessão de storytelling inspirava-se em quê?

Inspirava-me no mundo dos automóveis e tentava saber um pouco mais sobre a vida do presidente do ACP, para com respeito brincar um pouco com ele. Para Carlos Barbosa assentaria bem o slogan da Peugeot “O Leão mostra a sua raça”.

Como sócio do ACP quais são os serviços que mais utiliza?

Antes de mais, acho que o ACP é das instituições que melhor funciona neste País para quem tem problemas na estrada e não só. E não digo isto para ser simpático, gosto mesmo do clube e faço questão de ter o autocolante do ACP em todos os meus carros. Costumo utilizar a assistência em viagem e uma vez já chamei o médico a casa que foi impecável e muito competente.

Depois como a TSF aqui no Porto fica na mesma rua da delegação do ACP vou lá almoçar muitas vezes, aproveito para ler as revistas e comprar artigos na loja.

Defina o ACP numa frase.

Com o ACP nunca caminharás sozinho

scroll up