Miguel Oliveira volta a pontuar

|AUTOCLUBE

Apesar das dificuldades impostas pelo COTA, o português voltou a pontuar na terceira jornada do ano.

Oliveira_cota

Depois das duas primeiras sessões de livres marcadas pelo tempo seco, a trovoada que se fez sentir na manhã de sábado no Circuito das Américas, em Austin, Texas, levou ao cancelamento da terceira sessão de treinos.

Mesmo privado de tempo de pista, Miguel Oliveira voltou a dar nas vistas ao encabeçar os momentos iniciais da Qualificação 1. Contudo, o piloto ACP acabou por ter de se contentar com o oitavo tempo da sessão, o que se traduziu na 18ª posição da grelha de partida.

Como é seu apanágio, Oliveira não baixou os braços e deu tudo o que tinha naquela que acabou por ser a prova mais difícil que teve até ao momento desde o arranque da época.

Ao cabo da primeira volta ao COTA, o jovem português da KTM perdia duas posições face à qualificação para rodar em 20º, mas não tardou a recuperar a passagem seguinte pela linha de meta era, de novo, 18º.

Quatro voltas volvidas, Oliveira deu início à conquista de lugares subindo, de forma gradual, até chegar ao 13º posto no início da segunda metade da prova. Contudo, a cinco voltas do final o português acabou por se ver batido por Maverick Viñales, que teve um domingo para esquecer. Ainda assim, Oliveira voltou a terminar nos pontos pela segunda vez consecutiva ao cruzar a linha de meta em 14º.

“Foi uma corrida bastante complicada. Tive um arranque e uma primeira volta muito medianos e, de facto, não consegui recuperar tantas posições quanto gostaria,” admitiu Oliveira.

“Mas assim que entrei no ritmo de corrida comecei a sentir-me bem com a moto e acabámos por terminar nos pontos, que o nosso objetivo neste fim-de-semana, num circuito muito complicado e com muitos truques. Ter um grande à vontade com a moto neste circuito nota-se bastante e ao longo da corrida reparei em algumas coisas na moto que em termos ergonómicos têm de mudar para me poder fazer sentir mais confortável,” rematou.

Enquanto isso, na frente da corrida, Marc Márquez sofreu uma pouco usual queda à nona volta quando liderava e, apesar de ter voltado a montar a Honda, acabou por não completar mais nenhuma passagem pela linha de meta. Com isto Valentino Rossi assumiu o comando das hostilidades no que muitos pensavam vir a ser a primeira vitória do italiano este ano. Mas tal não aconteceu, com Alex Rins a surpreender tudo e todos ao impor-se ao “The Doctor” para se estrear a vencer na categoria rainha e a salvar o fim-de-semana da Suzuki.

A fechar o pódio, atrás de Rossi, ficou Jack Miller (Pramac Ducati), que conquistou o primeiro pódio do ano. Já Andrea Dovizioso (Ducati) ficou às portas do pódio, em quarto.

Em termos de Campeonato do Mundo, Dovizioso regressou à liderança com 54 pontos, mais três que o compatriota Rossi. Rins subiu a terceiro (49), enquanto Márquez, fruto do nulo, é quarto, a nove pontos do líder. Já Miguel Oliveira é o segundo melhor piloto KTM, em 16º com sete pontos, os mesmo que, imagine-se, o tri-Campeão do Mundo Jorge Lorenzo que, tal como o colega de equipa na Repsol Honda, acabou a zeros nesta visita ao Texas.

scroll up