Uma jornada ingrata para António Félix da Costa em Valência

|AUTOCLUBE

Depois da polémica de ontem, a segunda corrida no circuito Ricardo Tormo voltou a não ser favorável ao piloto português.

A

A vitória na 2ª corrida de Valência sorriu a Jake Dennis da BMW Andretti, à frente de André Lotterer (Porsche) e de Alex Lynn (Mahindra). Depois de um pequeno incidente com o Audi de René Rast, as coisas voltaram a não correr bem para o piloto português. António Félix da Costa largou da 12ª posição, iniciando desde logo a sua recuperação até ao 7º lugar, mas uma vez mais algo insólito viria a passar-se com a corrida do piloto luso. Quando Félix da Costa procurava ativar o seu segundo attack mode, por razões desconhecidas, a ativação não funcionou, com o português a perder várias posições na tentativa de reativar o sistema no seu carro. Quando tudo parecia correr ao contrário eis que a direção de prova penaliza o piloto com um "drive through", por não ter ativado o attack mode, sendo novamente uma medida que deixou mutas dúvidas, visto que António Félix da Costa não ativou o attack mode, pura e simplesmente porque o mesmo não funcionou. "Há fins de semana que nada corre bem e este foi talvez dos piores da minha carreira nesse aspeto, principalmente com coisas que não estavam no meu controlo. No Sábado foi duro perder a vitória daquela forma, à qual prefiro honestamente não comentar... Já hoje novo episódio, fui penalizado por não ter acionado um attack mode, ao qual tentei por diversas vezes mas o sistema não entrava. Enfim, é difícil encontrar palavras para descrever o sentimento que saio de Valência, é bastante frustrante na verdade. Resta-nos levantar a cabeça, temos um bom carro, estamos rápidos e há que continuar a trabalhar com a equipa para voltar aos bons resultados já na próxima corrida no Mónaco.”, referiu Félix da Costa, que terminou a corrida na 22ª posição.

scroll up