Oliveira e Buhler em duelo frenético

|AUTOCLUBE

Dois primeiros nas motos separados por menos de meio minuto no final do primeiro dia.

Cumpridos os primeiros 100 quilómetros da edição de 2018 da Baja Portalegre 500, Luís Oliveira é o comandante da classificação das motos. O piloto que venceu em 2016 está concentrado em alcançar o segundo triunfo da carreira na clássica alentejana mas tem em Sebastian Buhler um adversário que não lhe dá margem para descanso. Aos comandos de uma Yamaha, o segundo classificado cedeu 27 segundos e está, na geral, a 27,4 s de Oliveira.

“Foi um dia positivo para mim. Tentei atacar desde início. O prólogo não me correu muito bem mas o resultado foi bom. Acho que temos tudo para fazer uma boa corrida. Amanhã vou arrancar à frente. Vou tentar não cometer grandes loucuras ou exageros, sempre com o meu ritmo e que não seja mais lento que o Sebastian. Quero divertir-me, acima de tudo. Se possível, ganhar. Se não for, curtir um pouco”, afirmou o líder da prova já no parque de assistência.

Nas contas do campeonato, António Maio tem uma mão no título. Com vantagem pontual sobre Mário Patrão, o seu adversário neste particular, terminou o primeiro dia de prova em terceiro da geral a três minutos de Oliveira, enquanto o piloto da KTM é apenas quinto, a 4m23,7s do líder. Entre os dois candidatos à vitória no campeonato está Daniel Jordão.

“O primeiro dia foi divertido. Estava à espera que a prova se desenrolasse assim. Mantive um ritmo em segurança. Tentei não cometer nenhum erro. O principal objectivo é sair daqui sem me magoar e com o título nacional”, explicou António Maio.

Entre os quads, Ruben Alexandre dominou o dia. Depois do melhor tempo no prólogo, o piloto do Yamaha YFZ 450R voltou a ser o mais rápido no setor seletivo da tarde. Deixou Roberto “Beto” Borrego a 27 segundos e fechou o dia na primeira posição com 28 segundos de vantagem para o adversário que corre com um quad igual. Teo Viñaras, também em Yamaha, foi terceiro e subiu ao último lugar do pódio, enquanto o campeão nacional, Arnaldo Martins, é quarto, a quase dois minutos do líder.

“Tive um pequeno percalço porque fiquei sem travão da frente logo ao quilómetro 30. Tenho um toque numa jante. Deve ser por isso. Possivelmente, a bomba está a abrir. Mas não é nada de grave. Tive algumas saídas de pista por não ter travão da frente mas, de resto, correu na perfeição. O meu objetivo é ganhar. Amanhã o dia é longo e vamos com calma”, afirmou Alexandre.

Ricardo Carvalho foi o melhor concorrentes entre os SSV no primeiro dia de competição da Baja Portalegre 500 2018. O piloto do Yamaha YXZ 1000R não tinha ido além do oitavo posto no prólogo. À tarde, saiu dessa mesma posição para estabelecer a melhor marca e acabar a etapa na frente com 20,5s de vantagem sobre a dupla Luís Miguel Cidade/Fábio Ribeiro, em Can Am Maverick, que ocupa a segunda posição. João Dias e João Filipe, também em Can Am, terminaram em terceiro. A equipa venceu o prólogo mas no setor da tarde perdeu 1m12s e, na geral, está a 1m01s de Carvalho.

“Estou bastante satisfeito. Não só eu como toda a equipa e a Yamaha. Estamos a demonstrar que temos um carro competitivo”, disse Ricardo Carvalho.

Amanhã, os concorrentes têm mais 320 quilómetros contra o relógio pela frente. O primeiro tem saída do parque de assistência marcada para as 9h10 e o arranque para o setor é às 10h15.

scroll up