MotoGP já se estreou em Portimão

|AUTOCLUBE

Quase todo o pelotão da categoria rainha esteve no Autódromo Internacional do Algarve para um dia de familiarização com a pista.

Espargaro

Oito anos depois do último Grande Prémio de Portugal, as estrelas do MotoGP regressaram esta semana a território nacional, desta feita ao Autódromo Internacional do Algarve, para uma sessão de testes solarenga com vista ao GP de Portugal que tem lugar no próximo dia 22 de novembro e que coloca ponto final nesta conturbada época de 2020.

Ao contrário do que normalmente acontece nos testes, em que pilotos e equipas se concentram em encontrar soluções técnicas para as motos e assinar os melhores tempos possíveis, o objetivo do ensaio foi a familiarização com a pista. Um trabalho que os pilotos permanentes de MotoGP tiveram de levar a cabo com máquinas de estrada, sendo que Miguel Oliveira e os restantes pilotos KTM tiveram de recorrer a montadas descaracterizadas de outras marcas dado o construtor austríaco não ter Superbikes próprias.

Exceção a esta regra foram Aleix Espargaró e Bradley Smith, da Aprilia, a única marca a contar ainda com as conceções permitidas por regulamento. Uma vantagem que permitiu ao construtor italiano encabeçar a curta tabela de tempos com a melhor volta de sempre de uma moto ao traçado graças aos 1:40,170s registados por Espargaró na segunda e última sessão de quarta-feira.

Quem também marcou presença no Autódromo Internacional do Algarve foram os pilotos de testes Stefan Bradl (Honda), Michele Pirro (Ducati), Dani Pedrosa (KTM), Sylvain Guintoli (Suzuki), Jorge Lorenzo (Yamaha) e Lorenzo Savadori (Aprilia) que, por não serem pilotos permanentes do Mundial, rodaram com máquinas de MotoGP com o intuito de recolher dados de pneus e afinação. Um trabalho que levaram a cabo também ao longo desta quinta-feira. Ausentes do teste estiveram apenas o líder do Campeonato, Fabio Quartaro (Yamaha), o companheiro de equipa de Miguel Oliveira, Iker Lecuona, e Cal Crutchlow (Honda).

scroll up