A incrível coleção de carros dos Rolling Stones

|AUTOCLUBE

Além da música, os clássicos também são a paixão de Mick, Keith, Bill, Ronnie, Brian. E de Charlie apesar de não ter carta de condução.

aston-martin-840

Formaram-se em Londres em 1962, venderam mais de 240 milhões de álbuns, viajaram pelo mundo 48 vezes e tocaram ao vivo para mais de 50 milhões de pessoas. São os Rolling Stones que têm em comum a paixão pelos clássicos. Vamos conhecer alguns dos carros que têm nas suas garagens:

Lagonda Rapide (1937) de Charlie Watts

É o mais antigo da lista e pertence ao baterista da banda britânica. Embora Watts nunca o tenha conduzido porque não tem carta, gosta de admirar o que considera ser uma “obra do pré-guerra”, como ele diz. Mesmo em jovem, o músico nunca teve apetência para tirar a carta de condução mas dizia que “se fosse milionário compraria carros antigos só para olhar para eles, porque são lindos”.

Pontiac Chieftain Convertible (1950) de Keith Richards

Conhecido como "Silver Streak" pelas tiras cromadas que atravessam o capot, o Pontiac de Keith Richards foi comprado em segunda mão na Côte d'Azur em 1971, quando o músico se mudou para Villefranche-sur-Mer, em França. Foi durante essa altura que os Stones se reuniram no estúdio improvisado na decadente Villa Nellcôte de Keith para gravar o sétimo álbum da banda “Exile On Main St. One”, lançado em 1972.

Rolls-Royce Silver Cloud II (1959) de Brian Jones

O fundador e guitarrista dos Rolling Stones, Brian Jones, raramente estava em condições de conduzir devido ao elevado consumo de álcool e drogas. Por isso, achou que um Rolls-Royce com motorista era a solução perfeita para se deslocar. Foi então que comprou o Silver Cloud II do Beatle George Harrison, que inicialmente era de cor prata, mas o músico mandou-o pintar de preto. Não o gozou por muitos anos já que a 3 de julho de 1969 foi encontrado morto na piscina da sua casa, no sul de Inglaterra.

MGB (1964) de Bill Wyman

Enquanto os seus companheiros de banda compravam modelos Bentley e Rolls-Royce, o baixista Bill Wyman escolheu uma marca comparativamente mais modesta, que também se tornou icónica em meados dos anos 60: um MGB de dois lugares.

Bentley S3 Continental Flying Spur (1965) de Keith Richards

O mais célebre dos carros dos Rolling Stones, é este Bentley de Keith batizado de "Blue Lena" em homenagem à cantora americana Lena Horne. Considerado um modelo raro, com produção limitada a 87 unidades, este modelo tem muitas histórias para contar. Uma delas aconteceu em 1967 depois da notória apreensão de drogas em casa do seu proprietário em West Sussex. Para deixaram o escândalo acalmar, a banda resolveu deixar Inglaterra por uns tempos a bordo deste carro com destino a Marrocos.

Aston Martin DB6 (1966) de Mick Jagger

Talvez com inveja do seu rival Paul McCartney, que tinha um DB6 verde, Mick Jagger comprou um igual mas em azul. Após receber o carro no verão de 1966, teve pouco depois um mediático acidente ao cruzar a Great Titchfield Street colidindo com um Ford Anglia de uma aristocrata inglesa. Houve quem interpretasse este incidente como uma metáfora para o conflito cultural dos anos 1960 entre rebeldia e tradição…

Mercedes-Benz 250 S (1966) de Bill Wyman

Este sedan da série W108 foi o primeiro dos muitos modelos da marca da estrela que o baixista Bill Wyman viria a colecionar. Trata-se de um carro especial por ser o único da Mercedes que tem vidros curvos coloridos, um trabalho que o construtor nunca tinha feito e pelo qual Wyman pagou na altura 350 libras. O baixista vendeu-o quatro anos, mas voltou a comprá-lo em 1991 a uma senhora idosa por mil libras. O carro estava num estado lamentável e passou por um rigoroso restauro para voltar a ter o brilho de outrora.

Lotus Seven S3 (1969) de Ronnie Wood

Ronnie Wood juntou-se aos Stones em 1975, tendo anteriormente estado no The Faces com Rod Stewart. Foi nessa época que Ron gostava de “voar” ao volante de um Lotus Seven. Mais tarde, Wood desenvolveu especial predileção por grandes coupés e descapotáveis da Bentley e Rolls-Royce.

Morgan Plus 8 (1969) de Mick Jagger

Como Ronnie, Mick Jagger também gosta dos tradicionais desportivos ingleses. Por isso, teve um caso de amor com um Morgan amarelo limão em 1969. Este carro seguiu em 1971 para St- Tropez, no sul de França, para o casamento do músico com Bianca.

Citroën SM (1971) de Bill Wyman

Com motor da Maserati (SM significa Série Maserati) este Citroën deve ter algo especial que agrada aos baixistas. Adam Clayton dos U2 e Guy Berryman dos Coldplay também são proprietários de SM. Bill recebeu o seu carro em casa, no sul da França, enquanto a banda gravava o álbum Exile On Main St. Na década seguinte, este carro transportou muitos dos artistas e amigos músicos dos Rolling Stones, incluindo Marc Chagall, César ou Ringo Starr. Bill.

Ferrari Dino 246GT (1972) de Keith Richards

Keith Richards passou muitas, muitas horas ao volante do seu Dino. Durante uma das turnés da banda pela Europa, enquanto os outros membros viajavam de avião, Richards preferia seguir ao volante deste Ferrari. O carro foi vendido em 1986, tendo sido mais tarde adquirido por Liam Howlett, teclista e líder da banda britânica The Prodigy.

Ferrari 400i (1983) de Bill, Mick e Keith

Em 1983, o pedido destes três músicos dos Rolling Stones chega à casa de Maranello. Keith usou, inclusive, o seu 400i preto em Paris enquanto a banda gravava as faixas para os álbuns Undercover e Dirty Work nos anos 1980. O carro foi vendido em leilão em 2017 atingindo a módica quantia de 300.000 libras, valor que duplicou as estimativas.

scroll up